Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Prevalência do HIV/SIDA agudiza-se nas zonas urbanas

O Primeiro-ministro, Aires Ali, que, quarta-feira, em Chókwè, província de Gaza, presidiu às cerimónias centrais do Dia Mundial de Luta Contra HIV/SIDA, disse que todos os esforços atinentes exigem o assumir de que a doença só será vencida com a mudança de atitude, que se enquadra no lema do combate “Reafirmamos a nossa Moçambicanidade na Luta Contra o HIV/ SIDA”.

 

 

Os resultados finais do Inquérito Nacional de Prevalência, Riscos Comportamentais e Informação sobre HIV/ SIDA em Moçambique (INSIDA), divulgados, quarta-feira, no Chókwè, em Gaza, no Dia Mundial de Luta contra a pandemia, denunciam que o índice da seroprevalência nas zonas urbanas (15,9 por cento) é maior em relação às regiões rurais (9,2 por cento).

E que o estudo realizado entre Junho e Outubro do ano passado referem os níveis de infecção tendem a agravar em indivíduos com elevada formação académica e com acesso à informação sobre os riscos da doença.

No país, a seroprevalência situa-se actualmente em 11,5 por cento, sendo 13,1 por cento de mulheres dos 15 aos 49 anos de idade e 9,2 por cento de homens do mesmo grupo etário.

Gaza, com 29,9 porcento, é a província com o índice mais elevado da pandemia no país, enquanto Niassa, com 3,3 por cento, perfila como a de menor taxa a nível nacional, de acordo com os dados do INSIDA 2009, apresentados nas cerimónias centrais da data em que o mundo inteiro procedeu a uma reflexão aprofundada sobre os sucessos e insucessos no combate que se trava contra a doença.

No discurso proferido na ocasião, El Hadi Benzerroug, representante da Organização Mundial da Saúde no país, assegurou, em nome dos parceiros, a continuação do apoio técnico e financeiro com vista a conter a seroprevalência nacional, que considera deveras preocupante.

Enquanto Joana Mangueira, secretária executiva do Conselho Nacional de Combate à SIDA (CNCS), alertou que a seroprevalência nas cidades e em indivíduos mais formados constitui um sinal de promiscuidade sexual, que urge refrear.

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts

error: Content is protected !!