Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Presença dos jovens no Parlamento deve reflectir-se na defesa dos interesses da juventude

No âmbito da iniciativa “Voto Jovem”, o Parlamento Juvenil, mentor do projecto, disse, esta terça-feira, em Maputo, durante o encontro com a chefe da Bancada Parlamentar da Frelimo, Margarida Talapa, que a presença dos jovens parlamentares na Assembleia da República (AR) deve reflectir-se, efectivamente, na busca de respostas aos anseios da juventude moçambicana.

Este encontro, tal como os anteriores mantidos com outros partidos, visava a entrega formal do manifesto do PJ à Bancada Parlamentar da Frelimo, bem como a criação de um ambiente de diálogo entre as partes. O diálogo começou com a chefe da Bancada da Frelimo, Margarida Talapa, a “dar aulas” sobre o processo de formação do seu partido.

Talapa, que já sabia das intenções do PJ, explicou que o seu partido sempre pautou pela inclusão e que a sua bancada na AR é composta 45 jovens. Com essa explicação, a deputada demonstrava que na Frelimo, a presença de jovens constitui uma norma. Aliás, ela disse que os diferentes órgãos daquele partido no poder são, por norma, composto por 20 porcento de jovens. “Nós temos uma quota mínima nos órgãos da Frelimo que é de 20 porcento de juventude”, sublinhou.

No seu discurso, estritamente preparado para confrontar os interesses do PJ, Talapa disse que todos os manifestos políticos do seu partido tiveram, sempre, em conta os problemas dos moçambicanos, em geral, e dos jovens em particular. Queremos 50% de representatividade em todos os órgãos

Entretanto, depois da intervenção de Margarida Talapa, que mais parecia uma manobra para colocar por terra todas a reivindicações do PJ, este não se fez de rogado, tendo, na sua devida altura, dito que embora a Bancada Parlamentar da Frelimo tenha aquele número de jovens, o objectivo é que este número aumente de modo a corresponder 50 porcento de jovens.

Argumentado a sua pretensão, depois da “calorosa” recepção que recebeu dos deputados da Frelimo, o PJ disse que o seu objectivo e desafio é que “os jovens possam ganhar a consciência sobre a importância das eleições” e que eles, os jovens, possam aderir massivamente aos próximos pleitos eleitorais.

Renamo em debate

O PJ procurou saber da Frelimo qual era a sua posição em relação às ameaças do partido Renamo de boicotar as eleições. Para essa pergunta, a resposta não tardou. Talapa começou por explicar que não podia responder pelo partido Frelimo, uma vez que a audiência havia sido marcada com a bancada daquela formação política e que iria encaminhar a questão aos dirigentes da Frelimo. Porém, adiante ela disse aos representantes do PJ que aquela pergunta devia ser dirigida à própria Renamo. “Nós como Frelimo, com ou sem ameaças, vamos participar das eleições,” vincou.

“Vão ler o discurso do presidente Guebuza”

Relativamente a algumas questões colocadas pelo PJ, a chefe da Bancada Parlamentar da Frelimo recomendou que o PJ fosse ler o discurso de tomada de posse de Armando Guebuza como Presidente da República, onde podem encontrar algumas respostas às suas inquietações. Para Talapa os jovens não deviam reclamar a inclusão nos cargos de liderança, pois eles já existem. “No nosso Governo temos muitos vice-ministro jovens”, disse. A deputada, depois de ter recebido o manifesto do PJ, prometeu que “algumas questões” que constam do mesmo iriam ser analisadas e, se for o caso, incluídas dos manifestos do seu partido.

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts

error: Content is protected !!