Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Populares debelam incêncio e atacam bombeiros

Um grupo de agentes do corpo de salvação pública escapou da fúria de populares do bairro de Mutauanha, na noite do domingo (22) devido ao atraso na chegada ao local onde um incêndio devorou uma residência naquele circunscrição geográfica do terceiro maior município do país.

Efectivamente, o incêndio foi causado pela explosão de um poste de transporte de corrente eléctrica. A geografia da periferia de Nampula representa um entrave para a locomoção de viaturas. Mas nem sequer isso demoveu a população local de descarregar a sua fúria nos bombeiros que chegaram ao local quando o fogo já tinha sido debelado pelos populares. A explicação dos populares, para o acto, reside no facto do corpo de salvação pública ter sido avisado antes do fogo ganhar grandes proporções. A casa, dizem os populares, ficou mais de meia hora a arder diante da impotência e desespero dos residentes do bairro.

Os vizinhos dos proprietários da residência em chamas é que fizeram tudo para debelar o fogo com baldes e outros utensílios de uso doméstico. Após tantas tentativas, finalmente aqueles populares, conseguiram apagar as chamas e passados cinco minutos os bombeiros fizeram-se ao local de onde foram escorraçados pelos moradores daquela zona. Os populares lançaram pedras e outros objectos contundentes contra os bombeiros. O corpo de salvação pública escapou da fúria dos residentes graças a intervenção da polícia da República de Moçambique (PRM), que recorreu a força para conter os ânimos dos populares. Com efeito, cidadãos que não estavam no local para ajudar acabaram por sofrer agressões físicas protagonizadas pelos agentes da lei e ordem.

Segundo Armando Cristóvão, um dos bombeiros, a acção foi protagonizada por um grupo de jovens que extinguiu as chamas. Na altura do episódio os agentes de salvação pública procuravam a residência afectada. O nosso entrevistado apelou a população para que colaborem com o trabalho dos bombeiros, embora os meios sejam insuficientes para cobrir toda a cidade. Um dos acusados cuja identidade não conseguimos apurar e que teria sido algemado pela polícia pôs-se em fuga. Refira-se que a sobrecarga do poste que abastece mais de 100 famílias e a oscilação da corrente eléctrica provocaram o curto-circuito.

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts

error: Content is protected !!