Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Polícia recupera armas de fogo e mais de 412 mil meticais no centro e sul de Moçambique

Um moçambicano que responde pelo nome de R. Massingue, de 32 anos de idade, está a contas com a Polícia da República de Moçambique (PRM) em Moamba, na província de Maputo, acusado de posse de uma arma de fogo do tipo caçadeira, com a qual presume-se que abatia animais ilegalmente. Em Gaza, as autoridades recuperam também duas armas de fogo e dinheiro escondido alegadamente proveniente de assaltos.

O cidadão detido em Moamba encontra-se nas celas do Comando Distrital. A Polícia não forneceu detalhes sobre este caso, mas disse que relativamente à ocorrência em Gaza, as duas armas, com três e nove munições cada uma delas, estavam numa casa pertencente a um cidadão identificado pelo nome de Q. Zita. Na ocasião, foram encontrados 412.200 meticais escondidos numa coluna de som, e acredita-se que o valor seja produto de roubos.

Em Tete, no povoado de Chirodzi, no distrito de Cahora Bassa, um outro indivíduo de nem B. Mudzianhika, de 38 anos de idade, está preso supostamente por roubo em quatro residências cm recurso a uma arma de fogo. Estas e outras situações sugerem que ainda há mais armas e munições em mãos alheias em Moçambique.

Em Cabo Delgado, três cidadãos que respondem pelos nomes de D. Fernando e A. Ernesto, ambos de 20 anos de idade, e P. George, de 30 anos de idade, todos residentes no em Mararange-Montepuez, estão privados de liberdade por posse não autorizada, de acordo com a PRM, de uma metralhadora do tipo AK-47, dois carregadores da mesma arma e 445 munições.

Em Lichinga, na província do Niassa, duas pessoas identificadas por A. Cassimo e K. Mwamba, de nacionalidades moçambicana e congolesa, estão detidos por terem sido surpreendidos uma viatura que transportava 660 munições de uma AKM. O caso ainda está por esclarecer, segundo as autoridades policiais.

Na mesma província, no distrito de Mavago, a PRM enclausurou cinco indivíduos com idades que varia de 20 a 34 anos, acusados de rapto e assassinato de uma criança albina, de quatro anos de idade.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts

error: Content is protected !!