Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Polícia detém assaltantes que eram comandados por um recluso da BO

Uma quadrilha de assaltantes, considerada perigosa, deixou de constitui perigo para a sociedade, desde a passada sexta-feira (07), em resultado de ter caído nas mãos da Polícia depois de protagonizar mais um furto no bairro da Liberdade, no município da Matola.

Segundo a Polícia da República de Moçambique (PRM) na província de Maputo, o grupo era supostamente comandado por um recluso que está a ver o sol aos quadradinhos na Cadeia de Máxima Segurança, vulgo BO.

O referido prisioneiro, cuja identidade e idade não foram revelados pela Polícia, é parente de um dos detidos.

Trata-se de um bando em que um dos integrantes, por exemplo, tinha a missão de disparar quando fosse necessário, ao outro cabia a tarefa de transportar os seus comparsas até aos locais do crime e para onde eles pretendiam se esconder.

Os visados, dos quais fazem parte ainda um cidadão que se intitula reparador de armas, trocaram acusações entre eles e alegaram que são inocentes, sendo que o culpado e dono da arma de fogo usada no assalto é o cidadão ora detido na BO.

Ainda de acordo com os detidos, a pistola encontrada em sua posse era guardada em casa do cunhado do referido indivíduo enclausurado.

“Eu recebi uma chamada telefónica da pessoa que está presa na BO, a dizer que iria me enviar o número de alguém para me entregar a arma para limpá-la, porque podia estar enferrujada ou encravada, uma vez que ficou muito tempo sem ser utilizada. A mesma arma devia ser usada num assalto”, disse um dos acusados.

O outro elemento da mesma quadrilha contou que o seu cunhado, “que está na cadeia, telefonou-me no mês passado, a partir da cadeia, dizendo que eu devia entregar a arma a uma pessoa que viria ter comigo, porque já estava na hora de fazer aquilo (código usados por ambos para se referirem a um assalto à mão armada)”.

Já o outro detido defendeu-se alegando que, pese embora seja acusado de ser o atirador, ele apenas apontou o instrumento bélico ao dono do estabelecimento comercial assaltada na noite da passada sexta-feira. “Ameacei com a arma só para assustar”.

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts

error: Content is protected !!