Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Polícia adormece e deixa o festival nas mãos de bandidos

Muitas pessoas foram agredidas e saqueadas os seus bens por pessoas estranhas, último fim-de-semana, aquando da realização da 3ª edição do festival de Zalala.

As contas provisórias, apontam cerca de 15 pessoas esfaqueadas e um número não especificado ficou sem celulares, dinheiro e outros bens.

Tudo isso porque os malfeitores oriundos de Quelimane e outros pontos da província e do país, viram uma polícia adormecida e sem meios.

E quando é assim, quem sai a ganhar são os amigos do alheio. Foi o que se viu no festival de Zalala. Muito sangue, principalmente para aqueles que se atreveram em ir a zona de banho durante a noite.

Polícias sem meios 

Quando uma força policial não tem meios e fica concentrada apenas num local onde estava localizada a elíte governamental, nada podia-se esperar.

Foi o que aconteceu, a polícia afecta no festival de Zalala, esteve preocupada em proteger a chefia e deixou a população a solta.

Muitos agentes da PRM estavam nas imediações do palco, impedindo que pessoas fas dos músicos não subissem ao palco. Já na zona do banho, jorrava sangue humano, resultante das facadas e catanadas.

O posto de saúde aberto para atender eventuais casos, não teve mãos a medir e nas suas contas, pelomenos no sábado mais de 15 pessoas foram socorridas pela equipa da saúde.

E não foi apenas isso, quando houve corte de energia, nenhum agente da polícia se quer tinha uma lanterna nas mãos. Alguns aproximaram-se aos populares que ostentavam celulares com lanterna.

Os que estiveram próximos do nosso repórter, incluindo uma das bófias, também estava sem meios e apenas remetia-se em lamentações.

Foi-se assim o festival e como escrevemos na edição passada, o governo está aliviado por ter realizado este festival, porque caso não, a imagem dos governantes seria beliscada.

Enquanto isso 

Cerca de 200 pessoas foram assistidas no Hospital Provincial de Quelimane, no último fim-desemana. De acordo com Juleca Sumali, directora clínica do HPQ, este é o resultado de que o fim-desemana foi agitado, mas Juleca justificou que tudo resulta da realização do festival de Zalala.

A fonte explicou que destes casos todos, os mais graves foram aqueles cujas vítimas foram do acidente de viação ocorrido na zona de Marrabo.

As contas neste momento são feitas por todos. Esperamos que não haja o cancro de sempre, de não pagamento dos caches aos músicos e justificacao de contas.

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts

error: Content is protected !!