Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

PM empossa novos dirigentes do Instituto de Aviação Civil e Instituto Superior Politécnico de Tete

O Primeiro-Ministro (PM), Aires Ali, empossou, segunda-feira, em Maputo, o Presidente do Conselho de Administração do Instituto de Aviação Civil de Moçambique (IACM) e o Director Geral do Instituto Superior Politécnico de Tete (ISPT), Afonso Cuinhane e Bernardo Bene, respectivamente.

Discursando na cerimónia de investidura, Ali recordou, ao primeiro empossado, que o IACM é a autoridade reguladora do sector da aviação civil, que deve estruturar e gerir o espaço aéreo do país, promover o estabelecimento e manutenção das condições de segurança para a realização das actividades de aviação civil.

“Temos registado com agrado os esforços que ao longo dos últimos tempos têm sido desenvolvidos na regulamentação e na tomada de medidas que visam garantir a segurança aérea e o desenvolvimento da aviação civil nacional”, disse Aires Ali.

Trata-se, segundo o PM, de acções que, em face do aumento do tráfego aéreo que se tem registado no país, devem continuar de forma cada vez mais intensificada, para que as infra-estruturas e os aviões que demandam o espaço aéreo nacional realizem as suas actividades com segurança.

Assim, segundo a fonte, a esperança do governo é que o Instituto de Aviação Civil responda ao maior desafio que é fazer com que a aviação civil e os transportes aéreos atinjam metas mais altas que conduzam ao desenvolvimento das indústrias aeronáuticas e garantir a sua sustentabilidade.

“Ao empossado, quadro com experiência de trabalho comprovada na área de aviação, esperamos que saiba transmitir a sua experiência à equipa que vai coordenar, de forma a elevar os níveis de realizações do Instituto de Aviação Civil de Moçambique”, ressaltou o governante.

Ao director-geral do Instituto Superior Politécnico de Tete, Ali disse que a criação destes estabelecimentos constitui resposta a uma das componentes do Plano Estratégico do Ensino Superior (2000/10) em harmonia com as necessidades crescentes do mercado de trabalho e da sociedade.

Neste âmbito, segundo ele, impõe-se que os Institutos Superiores Politécnicos no seu todo, e o de Tete em especial, tenham em vista a formação de profissionais empreendedores em áreas relevantes para a dinâmica do mercado de trabalho moçambicano, num campo profissional específico.

O instituto superior politécnico deve servir de centro de excelência na formação de jovens profissionais inovadores e empreendedores, com base nas necessidades reais da sociedade, capazes de contribuir para o crescimento rápido do país.

“Assumir um papel de vanguarda na formação de profissionais de nível superior assente fundamentalmente em competências tecnológicas”, disse a fonte.

Moçambique é um país que reclama um maior aproveitamento dos seus recursos muito abundantes no seu solo e subsolo. A província central de Tete, em particular, é muito rica em recursos naturais, agrícolas, hídricos, minerais, para citar alguns exemplos e, muitos empreendimentos começam a despontar nela.

A convicção do governo é que o instituto, em articulação com as outras entidades e o empresariado local, saberá estabelecer sinergias para a formação de mão-de-obra qualificada, bem como a difusão de tecnologias mais apropriadas para o desenvolvimento local e nacional. A cerimónia de tomada de posse foi testemunhada por vários membros do governo.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts

error: Content is protected !!