Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

PHUMO preocupado com falta de água

O Partido Humanitário de Moçambique (PAHUMO) considera intolerável a situação que os munícipes da vila de Monapo enfrentam, nos últimos quatro meses, caracterizada pela escassez gritante de água potável para o seu consumo e apela as autoridades municipais locais no sentido de, em colaboração com o governo central, no sentido de encetarem esforços para mitigar o fenómeno que coloca em perigo vidas humanas através da abertura de fontes alternativas.

O secretário geral daquela formação política com sede na província de Nampula, José Henrique Lopes, disse não compreender a razão porque a edilidade da vila de Monapo não mostra alguma sensibilidade em relação à problemática da escassez de água potável que assume proporções alarmantes numa altura em que a região está a ser assolada por um surto de cólera que já fez seis óbitos.

O político, que escalou há dias aquela região interior de Nampula atravessada pelo rio Monapo que dá nome à vila e ao distrito, disse ter colhido informações junto das comunidades com as quais manteve encontros de curta duração, que todas as semanas são reportados casos de mortes de pessoas, particularmente mulheres, vítimas de ataque de crocodilos que abundam naquele rio.

Neste momento, o abastecimento de água potável aos cerca de 64 munícipes da vila de Monapo é assegurado por uma única fonte. Segundo o nosso entrevistado, para se conseguir um balde de 20 litros de água, as mulheres acompanhadas de crianças que formam longas filas são obrigadas a posicionar-se naquela fonte às primeiras horas do dia.

José Henrique Lopes disse, por outro lado, não compreender porque a edilidade não financia, com recurso aos parcos fundos de que diz possuir, a abertura de fontes alternativas na zona de Carapira e onde o lençol freático se situa num nível relativamente alto e que tem abastecido as comunidades locais com regularidade.

A edilidade de Monapo, segundo o respectivo edil João Luís, está ciente da gravidade da escassez de água para o consumo dos munícipes e garante que o abastecimento do precioso liquido à sua vila vai melhorar quantitativa e qualitativamente depois da conclusão do projecto de reabilitação global da estação de captação, tratamento e rede de distribuição financiada pelo Millenniun Challenge Account no quadro de um acordo rubricado pelo governo.

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts

error: Content is protected !!