Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Patrulhas nos bairros causam seis mortos na Matola

Seis pessoas morreram, das quais três por linchamento, entre quarta-feira (07) passada e madrugada de domingo (11) por terem sido confundidas com os integrantes do grupo que tem estado a causar pânico e terror nos bairros dos municípios de Maputo e da Matola.

Há informações segundo as quais os membros das Forças Armadas de Defesa de Moçambique (FADM) serão distribuídos pelos bairros para fazer patrulha, a partir desta segunda-feira (12).

Na madrugada de domingo, os moradores do posto administrativo da Matola-Rio, no distrito de Boane, defronte do posto policial do Quilómetro-16, lincharam três cidadãos supostamente porque faziam parte da quadrilha que assalta residências, agride fisicamente, viola sexualmente e engomava a ferro as suas vítimas.

Dois jovens foram igualmente linchados nos bairros de Intaka e Khongolote, ainda município da Matola, um na quarta-feira e outro no sábado.

Segundo a Polícia a nível da província de Maputo, a população invadiu ainda um policial, resgatou e torturou um indivíduo que estava detido supostamente porque pertencia ao grupo de “engomadores” e “violadores”. Infelizmente, um camião estacionado junto à mesma unidade policial, que estava a ser afastado de um pneu em chamas, caiu sobre o cidadão, tendo perdido a vida no local.

Enquanto isso, em alguns quarteirões dos bairros de Maputo e da Matola, os residentes mudaram de estratégia de patrulhamento. Ao invés de percorrerem um determinado quarteirão tocando vuvuzelas e apitos, fazem patrulhas em silêncio. A explicação da nova forma de vigillância é de que o barulho desses instrumentos faz com que os malfeitores fiquem mais atentos e haja dificuldades em neutralizá-los, para além de que eles se aproveitam da ausência de algumas pessoas (integrantes da patrulha) para roubar.

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts

error: Content is protected !!