Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Património sub-aquático sob ameaca em Nampula

Indivíduos, que se fazem passar por mergulhadores turísticos, e alguns pescadores locais estão a pilhar objectos de grande valor histórico e patrimonial em barcos naufragados nos distritos de Mogincual, Ilha de Moçambique e Mossuril, segundo constatação da equipa técnica da Património Internacional, SARL., organismo vocacionado à recuperação e preservação dos referidos objectos.

Segundo Jacinto Veloso, presidente do Conselho da Administração do referido organismo, a falta de condições para patrulhamento naval proporciona a pilhagem de maior parte das embarcações naufragadas e a comercialização dos respectivos objectos de forma ilegal. De acordo ainda com Jacinto Veloso, em Durban, África do Sul, foram, recentemente, descobertos, nessas condições , grandes quantidades de objectos em porcelana expostos no mercado paralelo, além de canhões recuperados em várias sucatarias nas cidades de Nampula e Nacala-Porto.

Criada em 1997, a Património Internacional, SARL é uma sociedade comercial anónima, cujas acções são detidas em 80 por cento pelo Estado Moçambicano e 20 por cento por privados representados pela Sociedade S&S Consultores.

Ao longo dos cerca de 10 anos, a PI, em parceria com Arqueonautas Worldwide SA (AWW), fundada em 1995, identificou cerca de 40 barcos naufragados naquela região. Dos quais , apenas três foram “vasculhados”, tendo uma parte dos objectos encontrados sido depositados nos museus e outra parte comercializada por um valor que rondou dois milhões de dólares americanos.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts

error: Content is protected !!