Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Parque Nacional da Gorongosa constrói bairro para comunidade de Mueredze

O Parque Nacional da Gorongosa (PNG), localizado na província de Sofala, centro de Moçambique, em colaboração com as autoridades locais, começou a construir um novo bairro para a Comunidade de Mueredze.

De acordo com informações do PNG, publicado na sua página electrónica, o novo bairro servirá para instalar as 72 famílias que no seu dia-a-dia cruzam caminhos com animais selvagens daquela área de conservação.

O novo bairro, Mueredeze, ficará fora do perímetro daquele parque natural. O Administrador do PNG, Mateus Mutemba, citado na referida página, disse que ‘ao fim de negociações que duraram anos entre o Parque e a comunidade e que culminaram em Setembro do ano passado, com a assinatura de um acordo entre as partes, ficamos comprometidos no sentido de trabalhar com esta comunidade para que esta possa levar uma vida melhor fora do Parque, longe da ameaça de animais”.

Mutemba referiu ainda que o PNG está em reabilitação e o número de animais vai crescer mais nos próximos anos. “O número de animais vai crescer ainda mais nos próximos tempos, apesar de sabermos que as pessoas já vivem perturbadas pelos elefantes que destroem culturas e põem em causa a segurança de pessoas em Mueredze.

Pensamos também no futuro das crianças que devem crescer e brincar normalmente, livres da ameaça de leões, elefantes, entre outros animais. Estamos a procurar fazer com que as pessoas saiam de dentro do Parque e encontrem condições condignas fora”, acrescentou.

Por sua vez, o Governador da Província de Sofala, Carvalho Muária, garantiu às 72 famílias que serão envidados esforços para garantir que o novo bairro tenha todas as condições que a vila tem.

“Acredito que com a vossa retirada da zona de Mueredze estarão resolvidos os conflitos entre o homem e a fauna bravia pois lá disputam a água do mesmo rio ou lagoa porque os animais também querem lá ir. Então, agora vamos deixar que os animais fiquem lá e nós viemos aqui porque nós podemos criar as nossas próprias condições. Isto porque nós precisamos do parque”, explicou.

Cada família transferida vai ocupar uma parcela de 1.200 metros quadrados para habitação e terá um titulo de direito de uso e direito da terra, que formaliza e atesta a posse do espaço em que viverão.

O PNG está neste momento a recuperar a sua fauna selvagem, a sua flora e a sua antiga notoriedade, apostando num desenvolvimento sustentável e tendo como objectivo proteger a fauna da caça furtiva e a desflorestação ilegal. Actualmente, o PNG conta com uma área de 4.067 quilómetros quadrados para o proteger da caça furtiva e da desflorestaçao ilegal.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts

error: Content is protected !!