Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Palmeiras imparável

Esta animar ver futebol nos últimos tempos em Quelimane, apesar das nódoas dos árbitros, mas vale pena ir aos campos de futebol. E no fim-de-semana, rodou mais uma jornada do campeonato provincial da modalidade ao nível da província.

No sábado, o Ferroviário de Quelimane, venceu dificilmente a turma Militar por 1×0, num jogo que só valeu o único golo da equipa “locomotiva” Na outra partida, o Gumula Futebol Clube, baqueou diante do Sporting de Quelimane, por 2×0. Enquanto que o Vila Pita ganhou a Futebol Clube de Morrumbala por 1×0.

Já no domingo, naquele que era considerado o jogo da jornada, e que foi mesmo, o Palmeiras de Quelimane, continua imparável e para fazer jus a esta sua maturidade, o Palmeiras venceu a Liga Muçulmana por 2×1, num jogo de grande emoção, onde o publico presente não perdeu nada em ter ido ao recinto do Ferroviário, digase, com relvado péssimo. Mesmo com algumas nódoas da arbitragem sob comando de Daniel Viegas, mas que não influenciaram no resultado, o Palmeiras fez o que lhe cabia, que era de vencer o jogo e continuar a liderar isoladamente com 8 pontos na tabela de classificação.

Com 1×0 ao intervalo, alguns adeptos como é natural, claro dos clubes aflitos iam torcendo para que a Liga empatasse. Mas não era fácil, porque aquela defesa dos Palmeiras, com jogadores pujantes, onde Gaspar era o “comandante” das operações naquele ultimo reduto, a Liga não conseguia perfurar a muralha. Refira-se que se a Liga violou as redes dos Palmeiras, não foi por culpa do guarda-redes, porque este, fez as melhores defesas da tarde.

Com o decorrer do tempo, os “muçulmanos” fizeram tudo e numa jogada de belo efeito, que surgiu na perda de bola de Baia, refira-se, já sem estofo, um atacante da liga, numa boa combinação lance a bola para direita e dai surgiu o grande golo. Estava feito o 1×1. Mas este empate não durou nem 10minutos, veio de novo o Palmeiras ao de cima e numa jogada de belo efeito, que partiu da direita para esquerda, ou seja, para quem conhece o campo do Ferroviário, da bancada sombra, um jogador do Palmeiras, centra o esférico para o centro do terreno e a bola foi saltitando e dai apareceu o pé mortífero de um atacante que logo facturou.

Foi uma festa no banco da equipa “imparável”, onde até o segurança afecto ao portão que dá acesso ao campo, não conseguiu com a euforia de milhares de crianças que apoiavam o Palmeiras, que logo invadiram o rectângulo de jogo festejando. Como não dava para mais, Daniel Viegas, disse chega e estava feito assim o resultado. 2×1, a maior para a nova equipa, o “imparável” Palmeiras.

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts

error: Content is protected !!