Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Organização dos Trabalhadores lança Semana comemorativa do 1º de Maio

No âmbito das celebrações do dia Internacional do trabalhador – 1º de Maio – a Organização dos Trabalhadores Moçambicanos (OTM-CS) chamou os seus membros, a imprensa e o público em geral para fazer o lançamento da semana comemorativa da efeméride. Na sua exortação, a OTM-CS reconhece que as comemorações deste ano, realizam-se num contexto em que os trabalhadores e suas organizações sindicais estão sujeitas à enfrentar grandes desafios no percurso da sua organização.

Refere-se ao elevado custo de vida que se faz sentir no dia-a-dia dos trabalhadores moçambicanos, mormente para a aquisição de produtos de primeira necessidade, incluindo o de transportes, com reflexo muito negativos não só na renda familiar, como também no cumprimento das obrigações laborais a que são devidas aos trabalhadores nos seus locais de trabalho.

Segundo o Presidente da OTM-CS, Carlos Mucareia, quando questionado sobre a relevância da cesta básica que o Governo vai dar para atenuar custo de vida, “a OTM-CS fez um estudo e chegou a conclusão de que o salário mínimo moçambicano deveria ser de 7 mil meticais. Portanto, o que o trabalhador ganha actualmente esta aquém da satisfação das suas necessidades”.

Num outro pronunciamento, Mucareia disse que a cesta básica é um gesto de solidariedade tomado pelo Governo e que a OTM-CS ainda não percebeu o impacto desta medida. A grande inquietação desta agremiação é que a cesta básica irá beneficiar apenas os moçambicanos que vivem nas 11 capitais provinciais, preterindo, deste modo, aqueles concidadãos que vivem nos distritos. “Portanto, como é que as pessoas que recebem menos que 2500 meticais – os agricultores – não serão contemplados?”, questionou Mucareia.

Quando questionado em relação às manifestações feitas pelos trabalhadores de G4S e que desembocaram em pancadarias perpetrada pela Forca de Intervencao Rápida (FIR), Mucareia disse que as causas que levaram às reivindicações dos trabalhadores daquela empresa se tivessem tido resposta em tempo útil não teriam acontecido. “Mas também não gostámos a forma brutal como a polícia agiu”.

Assim, a OTM-CS está a monitorar permanentemente a situação e a empresa G4S deve ressarcir os danos causados aos trabalhadores lesados.

Para o presente ano, face aos acontecimentos ocorridos até ao momento, a OTM-CS adoptou o seguinte lema: “Sindicatos Por Um Dialogo Social Efectivo”.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts

error: Content is protected !!