Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Oportunidade de negócios no sector de embalagem

Em Moçambique, existe défice de oferta de embalagem apropriada aos produtos produzidos localmente, tanto de consumo interno como de exportação, disse o ministro da Indústria e Comércio, António Fernando. António Fernando falava no workshop internacional sobre oportunidades de negócios no sector de embalagem, organizado pelo Ministério da Indústria e Comércio, através do Instituto para a Promoção das Pequenas e Médias Empresas, no dia 29 de Abril, em Maputo.

O evento, que contou com a participação de países como Africa de Sul, Alemanha e Brasil, surge como consequência do país estar a ser penalizado no que toca ao consumo de produtos interno e à exportação em quantidade, qualidade e a preço que não prejudique a sua competitividade, uma vez que não estão embalados. “O consumidor opta pelos produtos exportados porque estes chegam ao mercado nacional embalados e melhor apresentados”, afirmou o ministro da indústria e comércio tendo acrescentado que a componente de embalagem asseguraria a competitividade da produção nacional num mundo.

Com efeito, pretende-se revitalizar o sector de embalagem de modo a dar suporte ao crescimento da produção, visto que nos últimos anos tem-se assistido ao surgimento de novas empresas em diversos ramos de actividade e ao aumento da produção nacional e das exportações do país. Na ocasião, foram analisadas as necessidades e os desafios dos empresários moçambicanos no sector de embalagem, tendo sido constatado que Moçambique tem potencial para a produzir uma vasta gama de embalagens de plásticos, mas devido à fraca qualidade e a falta de habilidade na produção de embalagem, o país contínua dependente de importação.

Outros aspectos apontados, referem-se à problemas de adesivos de moldura e ausência de uma indústria capaz de responder a demanda actual. Neste momento, o país conta com 27 produtores de embalagens plásticas, 4 de cartões, 2 de metal e não existe de vidro e produtores de rótulos. Em termos de quadro legal, foram identificados 4 leis fundamentais sobre a forma de produção das embalagens, os produtos importados, a qualidade de água para o consumo humano e a água engarrafada.

Código de Barra Ausência de códigos de barras nos produtos nacionais retira o mérito da produção nacional. Entretanto, de acordo com o director nacional da indústria, Sidónio dos Santos, existe um serviço para restaurar o código de barras no país, o que vai permitir a identificação dos bens no que respeita ao preço e outros aspectos ligados a um determinado produto.

Segundo aquele responsável, “há cada vez mais exigências por parte dos produtores e o facto de Moçambique não estar preparado faz com que haja aumento da importação de produtos com código de barra”.

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts

error: Content is protected !!