Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Operadores fluvio-maritimos querem subir o preço de transporte

A rota que é vista como sendo aquela que trás mais prejuízos aos operadores fluvio-maritimos é de Quelimane – Inhassunge e vice-versa. Aqui, com o aparecimento do batelão Cuácua que é do governo, aqueles operadores que faziam o transporte dizem que a vida tornou-se ainda mais complicada.

A tarifa entre Quelimane – Inhassunge é de 7,50 centavos, o que na óptica destes, não compensa. Dizem eles que o combustível sempre sobre, mas eles não agravam as taxas. Isso só lhes prejudica, razão pela qual, estes operadores já submeteram uma proposta para o agravamento das tarifas ao governo.

Mesmo sem resposta, o jogo dos bastidores continua. Os operadores fluvio-maritimos continuam a convencer a Administração Marítima a aceitar a proposta dos actuais 7,50 centavos para 10 meticais.

A posição do governo

Sabe-se que Quelimane-Inhassunge são poucas milhas. Muita gente, de entre eles, funcionários públicos, das empresas privadas e não só usam aquela rota.

O batelão Cuácua, por exemplo, que o diga se não anda sempre cheio. Não tem fim-de-semana que não leva mais de cinquenta passageiros pelo menos.

Os pequenos barcos que andam ali nas barbas do Cuácua, só carregam quando este vai ou em casos de manutenção. Mesmo com a proposta submetida, o Governo diz não ser oportuno a subida ou agravamento do preço ou tarifas dos transportes por parte destes operadores. Do lado da Administração Marítima, a resposta é negativa, porque o governo sustenta que não há motivos para a subida dos preços.

Enquanto as partes não chegam ao acordo, os utentes ainda vão sorrindo, porque também a subida de preço da travessia Quelimane-Inhassunge ou viceversa, implica alteração na economia familiar que já anda débil.

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts

error: Content is protected !!