Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Oitenta milhões de dólares para reabilitação da linha férrea entre Cuamba e Lichinga

O Corredor de Desenvolvimento do Norte (CDN) empresa de capitais moçambicanos, necessita de 80 milhões de dólares americanos para reabilitar o troço ferroviário que liga as cidades de Cuamba e Lichinga, província do Niassa.

O facto foi anunciado numa reunião do sector privado havido semana passada, na cidade de Cuamba, na qual tomaram parte os governadores de Nampula, Niassa e Cabo Delgado, Felismino Tocoli, Arnaldo Bimbe e Eliseu Machava, respectivamente. Actualmente, o transporte de passageiros e de carga diversa para Cuamba a Lichinga e vice-versa é efectuado através de viaturas, devido ao estado de degradação em que se encontra a linha férrea.

De referir que o CDN reiniciou, em meados do passado mês de Março, a circulação de comboios cruzados, de terça-feira a domingo, medida acolhida com muito agrado pelos utentes por minimizar a demanda de transportes ao longo do corredor.

Entretanto, alguns populares denunciaram ao governador, Felismino Ernesto Tocoli, o alegado “aluguer” de assentos dos comboios. No posto administrativo de Nataleia e no distrito de Malema, Tocoli foi informado de que alguns indivíduos, supostamente parentes ou amigos dos revisores, fazem reservas de cadeiras para posterior “aluguer” aos passageiros, depois destes adquirirem os bilhetes de passagem, a preços que variam entre 20 a 30 meticais .

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Related Posts

error: Content is protected !!