Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Obama e Medvedev substituem o telefone vermelho pelo Twitter

Obama e Medvedev substituem o telefone vermelho pelo Twitter

Durante encontro esta quinta-feira, na Casa Branca, os presidentes Barack Obama e Dmitri Medvedev fizeram brincadeiras sobre o famoso telefone vermelho da época da Guerra Fria, substituído, agora, pelo Twitter e almoçaram cheesebúrgueres num fast-food. O telefone vermelho representava uma linha direta, de telex, entre os governantes dos Estados Unidos e da extinta URSS instalado na década de 60 do século passado.

Ao receber seu “amigo” na Casa Branca, Obama qualificou Medvedev de parceiro “sólido” e “confiável”, e enumerou os sucessos da política externa de ambos os países nos últimos meses, desde a votação sobre o Irã e a Coreia do Norte no Conselho de Segurança das Nações Unidas até a conclusão de um novo tratado Start de desarmamento nuclear.

O presidente americano também afirmou, em entrevista conjunta à imprensa, que ia acelerar o diálogo sobre o ingresso de Moscou na Organização Mundial do Comércio (OMC), garantindo que a “Rússia pertence à OMC”. Agradeceu a Medvedev por ter solucionado um conflito comercial entre ambos os países sobre as exportações de aves americanas. O presidente Obama aproveitou a oportunidade para anunciar que uma empresa estatal russa compraria 50 aviões Boeing avaliados em 4 bilhões de dólares, um fato que poderia criar até 44.000 postos de trabalho na economia americana.

Depois da entrevista à imprensa, os dois dirigentes deixaram a pé a Casa Branca para visitar a Câmara de Comércio, localizada a apenas duas ruas de lá. Aí participaram de reunião com empresários de ambos os países, num momento em que o presidente russo pretende atrair investidores para ajudar a desenvolver um setor de alta tecnologia no país, semelhante ao que prospera em Silicon Valley (Califórnia, oeste).

O presidente russo visitou a sede do Twitter e abriu uma conta em nome do Kremlin, que já contava com mais de 20.000 seguidores esta quinta-feira. “Eu também tenho uma conta e, talvez, possamos pôr um ponto final nos telefones vermelhos que ficaram tanto tempo por aqui”, brincou Obama.

Antes, os dois presidentes foram almoçar num fast-food do sul de Washington, para onde seguiram na limusine presidencial. “Almocei com o presidente Barack Obama num local interessante, tipicamente americano. Não sei se foi bom para nossa saúde, mar era muito gostoso, e pude sentir o espírito da América”, contou Medvedev.

A visita cheia de símbolos sobre a harmonia entre os dois antigos inimigos da Guerra Fria começou com uma reunião de mais de hora e meia entre os presidentes na Casa Branca, na presença de altos funcionários da diplomacia, e do setor econômico. Apesar da ênfase dada aos aspectos positivos da relação Moscou-Washington, Obama admitiu que persistiam algumas divergências entre ambos os países, especialmente sobre a Geórgia. “Falamos francamente destas divergências”, disse.

As relações entre Rússia e Estados Unidos haviam se deteriorado depois da invasão da Geórgia pela Rússia, em 2008. Ao assumir o poder, no início de 2009, Obama havia insistido na necessidade de “começar do zero” sua relação com os russos. Medvedev e Obama se verão novamente no próximo final de semana no Canadá durante as reuniões de cúpula do G8 e do G20.

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts

error: Content is protected !!