Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

O português José Cunha pode ter morrido por ajuste de contas

A morte de José Cunha, cidadão de origem portuguesa, de 60 anos de idade, no bairro Chali, no Distrito Municipal KaTembe, pode ter sido por ajuste de contas, uma vez que ele já esteve por detrás da detenção de um dos elementos do bando que assaltou a sua residência na madrugada desta quinta-feira (22).

O @Verdade apurou que um dos membros da quadrilha que naquele dia invadiu o domicílio de Cunha, na tentativa de se apoderar de aves, já esteve detido por causa do roubo de patos na casa do malogrado. Aliás, de acordo com testemunhas, o suposto assassino acabava de sair da prisão, havia 72h:00, por causa de um crime não especificado.

César Hlhali, vizinho da vítima, disse ao @Verdade que quatro indivíduos se introduziram no quintal de Cunha e tentaram roubar alguns animais da sua criação. O nosso interlocutor narrou ainda que naquela madrugada, uma vizinha foi lhe acordar depois de se aperceber de um movimento estranho na habitação de Cunha. César Hlhali pegou numa catana e dirigiu-se à casa do malogrado para averiguar o que estava acontecer.

No local, segundo o entrevistado, Cunha já estava morto, depois de ter sido brutalmente espancado pelos meliantes quando tentava se defender dos mesmos. De repente, César Hlhali notou a presença de um grupo que levava consigo um saco contendo galinhas e patos. Abordou o bando mas este quis agredi-lo e foi nesse instante que, na tentativa de se defender, acertou um dos assaltantes na cabeça com a sua catana. Os outros fugiram.

O instrumento com que Hlhali se defendia caiu e ficou em poder do malfeitor. César apercebeu-se de que corria risco de vida e pôs-se em fuga gritando pelo socorro, tendo os vizinhos abandonado os seus domicílios para acudir. O suposto criminoso caiu nas mãos da população e foi identificado como sendo um ex-membro das Forças Armadas de Defesa de Moçambique (FADM) expulso das fileiras por cometimento de roubos nas unidades de infantaria.

A detenção do malfeitor foi graças a boa-fé de um cidadão que disponibilizou a sua viatura para o efeito depois de uma perseguição. E só não foi linchado graças a intervenção da Polícia que logo que tomou conhecimento da ocorrência e interveio.

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts

error: Content is protected !!