Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

O aventureiro que não envelhece – Tintin faz oitenta anos

O aventureiro que não envelhece - Tintin faz oitenta anos

Celebrou no sábado oitenta anos, mas continua a ser o jovem repórter belga que correu mundo (e a Lua) em aventuras destemidas acompanhado pelo fox terrier Milu. Tintin surgiu pela primeira vez a 10 de Janeiro de 1929. Ainda hoje uma das mais populares personagens da banda desenhada mundial, Tintin foi criado pelo desenhador e argumentista belga George Remi (Hergé) e apareceu pela primeira vez no suplemento juvenil Le Petit Vingtime, do jornal Le Vingtime Sicle, a 10 de Janeiro de 1929.
Na estreia, Tintin é apresentado como um jovem jornalista do Petit Vingtime enviado à antiga União Soviética, onde se envolve em várias cenas de pancadaria.

Com um traço ainda imaturo e tosco e uma narrativa frágil, Hergé – na altura com 22 anos – desenhou Tintim numa história a preto e branco no “país dos sovietes”, com referência a Moscovo como “um pardieiro infecto”, numa alegada ridicularização do regime comunista. Para o público, Tintin surgiu pela primeira vez em 1936, na publicação “O Papagaio”.

Hergé morreu em 1983, aos 76 anos, deixando incompleto “Tintin e Alpha-Art” e, apesar de não terem surgido mais histórias originais, Tintin e o inteligente cão Milu continuam a ser reconhecíveis em todo o mundo, independente da língua e da cultura.

Da banda desenhada, as histórias de Tintin saltaram para a televisão e para o cinema e a imagem do rapaz de poupa loira e gabardina foi amplamente reproduzida, de relógios a selos, de canecas a calendários, de moedas a material escolar, reforçando a imortalidade do herói.

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Related Posts

error: Content is protected !!