Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Novo modelo de formação de professores a partir de 2012

O Ministério da Educação tenciona introduzir, numa fase piloto, um novo modelo de formação de professores do ensino básico em Moçambique, a partir do próximo ano.

Trata-se do modelo “10 mais dois anos”, que visa garantir a formação de professores melhor capacitados para o exercício da sua actividade, cujo ingresso estará aberto aos candidatos que tiverem concluído a 10ª classe.

De acordo com o director nacional de planificação, Manuel de Rego, o novo modelo difere do anterior pelo facto de os formandos terem mais tempo para aprendizagem, com um conteúdo revisto e orientado para uma maior competência.

Rego, que falava a jornalistas, quarta-feira, em Maputo, à margem da reunião nacional de planificação do Ministério da Educação (MINED), disse que os professores em formação terão um ano de prática nas escolas para se familiarizarem com o processo de ensino.

“Há dois anos que está em preparação e elaboração o novo currículo de formação de professores. Em 2006 estivemos a implementar um projecto de formação rápida de professores, mas a partir de 2012 vamos implementar de forma piloto o novo modelo” disse.

“Será um curso mais longo, virado para o desenvolvimento de competências e os professores serão submetidos a um ano de prática. Estas questões estão a ser discutidas e finalizadas. Será um curso que, em princípio, produzirá um professor melhor preparado e formado” concluiu.

O Ministro da Educação, Zeferino Martins já veio a público dizer que o alargamento dos anos de formação não visa ministrar as mesmas matérias em mais tempo, mas, essencialmente, introduzir novos conteúdos que focalizem a aprendizagem da leitura e escrita dos alunos no nível básico do primeiro grau.

Os alunos graduados do primeiro nível do ensino básico devem dominar a escrita e a leitura com mais perfeição para que possam saber interpretar as matérias das disciplinas profissionalizantes que estão sendo introduzidas nos níveis subsequentes, o que, segundo frisou Zacarias, exige do docente competências para o exercício da profissão.

Segundo o ministro, o modelo actual de formação de docentes em um ano já provou que não responde aos desafios do Governo para a melhoria da qualidade de ensino e aprendizagem.

O novo modelo de formação surge numa altura em que o MINED acaba de introduzir novos modelos de recrutamento de candidatos aos institutos de formação, bem como de docentes formados para leccionar.

A contratação dos professores será por ordem decrescente do rendimento pedagógico obtido durante a formação. Assim, os que tiverem melhor aproveitamento serão imediatamente seleccionados.

Enquanto isso, para admissão, os candidatos a professores devem ter concluído a 10ª classe com no mínimo uma média final de 12 valores.

Estes e outros esforços enquadramse na melhoria da qualidade de ensino em Moçambique que continua a constituir um dos pontos fulcrais do trabalho que o sector da educação tem vindo a realizar.

De referir que anualmente o Governo contrata 11 mil docentes. Porém no corrente ano, o número de professores recrutados reduziu para 8 mil devido às limitações orçamentais.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts

error: Content is protected !!