Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Autárquicas 2013: candidato da Frelimo rejeitado publicamente no Gúruè

Os residentes do município de Gúruè, província central da Zambézia, rejeitaram publicamente o futuro candidato da Frelimo, partido no poder no país, vencedor das eleições internas havidas no penúltimo final de semana de Agosto, e prometeram não votar nele caso se avance com a nova figura para o escrutínio de Novembro próximo.

Trata-se de Janguir Ussene, que depois de um processo aturado derrotou, no final, o actual presidente daquela autarquia, José Aniceto, que dirigiu durante o mandato prestes a terminar os destinos daquela urbe da Alta Zambézia e continua na simpatia dos residentes daquela autarquia.

A rejeição pública de Ussene aconteceu durante a tarde de sexta-feira no encontro que a Primeira-Dama da República, Maria da Luz Guebuza, manteve com os residentes daquela urbe, no âmbito da visita que está a efectuar a Zambézia, para avaliar a implementação de programas e actividades inseridas na causa de luta contra a mortalidade materno-infantil.

O município de Gúruè, com cerca de 56 mil habitantes a residirem nos 23 bairros da urbe, terá um novo edil caso o candidato eleito da Frelimo saia vitorioso, porém já está a ser alvo de fortes contestações por parte dos munícipes que prometeram não votar nele nas próximas eleições.

Entre os munícipes que falaram publicamente no encontro, a rejeição de Ussene reside no facto de ele não ser originário de Gúruè enquanto José Aniceto, há dois meses do termo do mandato, para além de ser filho das “terras do chá” desempenhou sabiamente os programas e actividades de desenvolvimento autárquico daí que, na sua óptica, devia merecer mais um mandato.

O afastamento de Aniceto que, aliás, no próprio encontro orientado pela primeira-dama, estava com o semblante muito carregado, denunciando um total inconformismo com a derrota sofrida nas internas que, por conseguinte, resultará no abandono da edilidade.

Após uma análise aos retratos feitos por alguns jovens no encontro, mas que aceitaram falar a AIM, no anonimato, as clivagens abrem espaço para um forte “braço de ferro” no partido, porque os jovens que apoiam o edil cessante prometem não votar no novo candidato e os apoiantes do futuro presidente, em caso de vitória, não votarão no antigo em caso de recuo.

O encontro, cuja tónica dominante gravitou em assuntos nutricionais, porque apesar de Gúrurè, à semelhança de outros distritos da Alta Zambézia, possuir excelentes condições à produção alimentar, enfrenta problemas de malnutrição, acabou tendo uma face política, marcada pela rejeição do futuro candidato do partido no poder.

A Primeira-Dama, que não quis interferir nas opções dos jovens de Gúruè, disse que o seu apelo era no sentido de respeitarem o real sentido de voto, porquanto no futuro candidato do partido no poder foi também eleito por via de um escrutínio e no caso de vitória vai trabalhar para desenvolver a urbe.

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts

error: Content is protected !!