Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Nove pessoas morrem carbonizadas num acidente de viação

Nove pessoas, incluindo o motorista, morreram carbonizadas, quando o camião plataforma em que se faziam transportar envolveu-se num aparatoso acidente que envolveu três viaturas, na Estrada Nacional Numero Seis (EN6), no distrito de Nhamatanda, na província central de Sofala.

O acidente ocorreu na noite de segunda-feira ultima, quando o camião, transportando adubo, seguia da cidade de Beira com destino ao Zimbabwe com oito pessoas a bordo, despistou-se e embateu sucessivamente contra outros dois camiões que seguiam no mesmo sentido, incendiando-se de imediato.

Segundo o jornal “Diário de Moçambique”, as pessoas morreram carbonizadas e o camião também ficou reduzido a cinzas. Os corpos das vítimas mortais só foram removidos na manhã de terça-feira para a morgue do Hospital Rural de Nhamatanda, donde viriam a ser transportados para o Hospital Central da Beira, para melhor conservação. Sérgio Moiane, administrador do distrito de Nhamatanda, diz que os corpos corriam o risco de atingir o estado acelerado de putrefacção devido ao deficiente sistema de conservação local que não tem capacidade para conservar três corpos aliado ao facto de se ter registado um corte prolongado de energia.

Até terça-feira ultima não eram conhecidas as identidades das oito pessoas que seguiam como passageiros no referido camião, pois simplesmente foi identificado o motorista, através de pedaço de cinto que apertou quando guiava o veículo. O único corpo que já foi reclamado é o do condutor, Marcelino Fernando José Gimo, de 44 anos. O administrador supõe que as restantes vítimas mortais sejam de nacionalidade estrangeira. “Não foi possível identificar os passageiros que morreram, mas há indícios de que são zimbabweanos”, acrescentou.

Testemunhas oculares disseram que o acidente ocorreu cerca das 19 horas locais, quando o camião-plataforma da empresa chinesa Biwold embateu sucessivamente contra a parte traseira de outros dois camioes, sendo um em movimento e o outro parado. “Não houve tempo para socorrer as pessoas, porque quando aquele camião embateu contra o segundo ardeu logo e as pessoas ficaram queimadas até transformar-se em cinza”, contou Manuel José, que presenciou o acidente.

António Durão, que também testemunhou o acidente, disse que foi triste o que aconteceu, visto que as pessoas estavam a gritar, pedindo socorro, mas “nós nada poderíamos fazer, na medida em que as chamas eram violentas, que até estavam a iluminar toda esta área”.

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts

error: Content is protected !!