Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Novas notas de metical em circulação

Novas notas do Metical, moeda moçambicana, estão em circulação no país desde sábado. Trata-se de notas melhoradas de 20, 50 e 100 meticais, produzidas na base de polímero, um material sintético de maior durabilidade e ajustado a climas húmidos, bem como com elementos de segurança reforçados.

Segundo o Banco de Moçambique, após um estudo especializado, os gestores da instituição concluíram que as notas de menor valor facial, designadamente as de 20, 50 e 100, por serem as mais utilizadas, degradam-se mais rapidamente.

“Para colmatar esta situação o Banco Central decidiu, através do Aviso 03/GBM/2011, de 16 de Junho, que estas denominações fossem impressas em polímero, que é um material sintético, particularmente ajustado à climas quentes e húmidos, o que reforçará a durabilidade das notas”, refere o banco numa nota de imprensa.

Por outro lado, decorridos cerca de cinco anos após a introdução das notas e moedas da nova família do Metical, em 2006, e face à expansão em curso do sector financeiro pelo território nacional, bem como ao incremento do número de transacções monetárias, do volume da circulação monetária e dos agentes económicos envolvidos nessas transacções, mostra-se necessário assegurar uma protecção cada vez mais eficaz das notas do Metical, ajustando os seus elementos de segurança.

“Assim, as notas de 200, 500 e 1000 embora continuem a ser impressas em substrato de papel, tal como as de polímero, beneficiarão de reforço dos seus dispositivos de segurança” acrescenta a nota.

A entrada em circulação das novas notas não implica a substituição das antigas. Assim, as notas novas e as antigas serão utilizadas em simultâneo.

Durante a cerimónia de apresentação pública das novas notas, em Junho último, o Governador do Banco de Moçambique, Ernesto Gove, disse que a introdução de moedas produzidas com este novo material vai permitir reduzir significativamente os custos de reposição das notas degradadas.

Segundo Gove, a rotação média das notas é de três anos e com estas notas acredita-se que as mesmas possam, pelo menos, resistir por cinco anos ou até mesmo duplicar o seu tempo de vida em circulação.

Estes elementos de qualidade são introduzidos cinco anos depois do lançamento da terceira família do Metical.

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts

error: Content is protected !!