Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Noruega quer apoiar Moçambique no combate à pirataria

O secretário de Estado do Ministério dos Negócios Estrangeiros da Noruega, Erik Lahnstein, anunciou, Segunda-feira, em Maputo, que o seu país está disposto a ajudar Moçambique a patrulhar a sua costa marítima no combate à pirataria.

Falando durante workshop sobre “Pirataria no Oceano Índico” organizado pela Embaixada da Noruega em Moçambique, Lahnstein disse que o seu país pretende apoiar os estados da costa oriental africana que, nos últimos tempos, têm sido vítimas da pirataria marítima.

“Já visitei países como o Quénia, Tanzânia, Seicheles e Maurícias todos eles com problemas relacionados com a pirataria marítima. A Noruega quer ajudar estes países africanos na luta contra pirataria que, como se sabe, poderá ter efeitos catastróficos para a economia dos respectivos países, por isso vamos patrulhar todo o oceano Índico”, disse ele, citado na edição da terça-feira do jornal “Diário de Moçambique” (DM).

Segundo Lahnstein, a Noruega vem apoiando Moçambique no combate ao crime e a pirataria através de um “trust fund” no valor de 30 milhões de coroas norueguesas (cerca de 167 milhões de meticais) alocado às Nações Unidas para o efeito. Assim, o apoio a ser concedido surge como parte adicional e directa aos países afectados por este mal.

O DM indica que aviões da Força Aérea norueguesa poderão começar a patrulhar a costa moçambicana a partir de Outubro próximo.

O workshop realizado esta Segundafeira tinha como objectivo analisar as medidas e práticas que estão sendo tomadas ao nível global, regional e nacional no combate à pirataria, bem como avaliar as medidas que foram tomadas por outras nações para abordar o problema em Moçambique.

Nos últimos tempos, Moçambique tem sido assolado por actos de pirataria perpetrados por piratas somalis. Em Finais de Dezembro passado, a embarcação “Vega 5” propriedade da empresa Efripel Ldafoi foi dada como desaparecida ao largo da costa da província de Inhambane, com 24 tripulantes a bordo, dos quais 19 moçambicanos.

A embarcação foi depois recuperada em meados de Março passado pela Marinha de Guerra Indiana, mas nove dos membros da sua tripulação continuam desaparecidos até hoje.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts

error: Content is protected !!