Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

NBA FINAL: em casa , Miami derruba o Dallas no primeiro jogo

NBA FINAL: em casa

Diante dos seus adeptos a equipa da Flórida tinha apenas uma missão na noite de terça-feira (madrugada de quarta-feira em Maputo): fazer mais pontos que o Dallas Mavericks em 48 minutos de bola em jogo. Ainda que fossem pontos suados. E foram. Num jogo 1 amarrado, de muita luta e não exatamente bonito, os donos da casa impuseram-se. Nas costas do trio LeBron-Wade-Bosh, venceu na marra por 92 a 84 e tem uma vantagem de 1 a 0 na final.

Apesar do desfile de craques em quadra, o aproveitamento de arremessos durante a noite foi baixo: 38,8% para o Miami, 37,3% para o Dallas. Mas o trio do Heat guardou as bolas que precisava guardar na hora certa. LeBron James foi o melhor marcador com 24 pontos, além de nove ressaltos e cinco assistências. Discreto no primeiro tempo, Dwyane Wade apareceu no segundo e ajudou o companheiro nos momentos decisivos. Terminou com 22 pontos, dez ressaltos e seis passes. Chris Bosh, que foi melhor na primeira metade, completou a tarefa com 19 pontos e nove ressaltos.

Pelo lado do Dallas, Dirk Nowitzki foi o maior pontuador, com 27 pontos, seguido por Jason Terry, com 12, e Shawn Marion, que fez 16 e ainda pegou dez ressaltos. Não foi o bastante para surpreender o campeão do Leste nos seus domínios.

Os dois técnicos surpreenderam na marcação no início do jogo. Spoelstra colocou Joel Anthony para marcar Nowitzki, e Carlisle usou DeShawn Stevenson em LeBron. A estratégia mudaria ao longo do jogo, com variações de marcação, mas o nervosismo demorou a passar: nos primeiros 24 arremessos da partida, apenas cinco acertos.

Aos poucos, as equipas foram se acalmando. James logo fez oito pontos para o Miami e abriu uma pequena vantagem, mas o Dallas respondeu com duas bolas de três de Kidd e meia dúzia de pontos de Terry, que saiu do banco e ajudou na virada. No fim do primeiro quarto, 17 a 16 para os visitantes.

No segundo período, Terry dobrou sua pontuação – aliás, dobrou e parou por aí, já que não faria nenhuma cesta no segundo tempo. Nowitzki chegou aos 13, ajudando o Dallas a manter-se no jogo. Wade tinha dificuldade com os arremessos (3/10), e quem carregava o Heat era Bosh, com 13 pontos e sete ressaltos antes do intervalo. Na saída para o vestiário, uma boa dose de equilíbrio: 44 a 43 para o Dallas.

Na volta, nem tanto: sequência implacável de 7 a 0 para os texanos. Spoelstra pediu tempo e conseguiu conter o ímpeto dos visitantes no início do terceiro período. Seis minutos depois, o placar já estava apertado de novo. E quando faltava apenas um para o fim do quarto, LeBron encarregou-se de converter a bola de três que virou o jogo para o Miami. Mesmo em cima do final, acertou outra, a sua quarta no jogo: Heat 65 a 61 na passagem para os últimos 12 minutos.

Àquela altura, a expectativa cumpria-se: LeBron liderava a sua equipa com 19 pontos, e Nowitzki respondia com 17. O aproveitamento dos arremessos já não era bom, e as defesas ainda faziam de tudo para dificultar na reta final. Nesse ritmo, a equipe da casa conseguiu manter uma pequena vantagem ao longo do último período.

A claque, toda de branco nas arquibancadas, parecia apreensiva e demorou para perceber que estava prestes a festejar a primeira vitória na final. Só vibrou de verdade quando Wade deu um toco espetacular em Marion, acertou uma bola de três e abriu nove a três minutos e meio do fim. Dali em diante o Dallas não conseguiu mais dar a volta ao jogo. Ainda houve tempo para uma incrível ponte aérea de Wade para LeBron, o ponto de exclamação no triunfo. E a missão dos anfitriões estava cumprida.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts

error: Content is protected !!