Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Nampula aposta na investigação pesqueira

O executivo de Nampula tem vindo a apostar na investigação pesqueira, através de recolha de amostras principalmente nos centros de desembarque, referente a diferentes espécies de peixes.

A recolha, em que será utilizado o método aleatório estratificado, será feita por equipas especializadas de amostradores afectos aos principais centros de pesca localizados ao longo da zona costeira da província.

Segundo fontes do governo provincial, tal investigação permite aos investigadores o conhecimento necessário sobre a biologia das principais espécies que são exploradas na província de Nampula, a colheita, registo de dados estatísticos de captura e CPUE (captura por unidade de esforço) das pescarias artesanais e semi-industriais.

Todavia, no quadro da implementação dessa investigação, tem sido igualmente fácil fazer avaliações do estado de exploração dos recursos pesqueiros bem como estudos analíticos de produção, especialmente nas áreas consideradas santuários pelo Fundo Mundial para a Natureza.

De acordo com o executivo de Nampula, a investigação pesqueira é, igualmente, importante ao possibilitar a existência da pressão na exploração dos recursos pesqueiros em determinadas zonas, cuja solução passa pela potenciação das embarcações dos pescadores artesanais, no sentido de estes exercerem a sua actividade em mar aberto, usando artes ou materiais mais selectivos.

O estudo e análise dos dados de exploração de conchas vazias, um dos preciosos produtos marinhos procurados pelos pescadores, são outras componentes importantes que têm estado a fazer parte da investigação pesqueira na província de Nampula.

No que concerne à tecnologia de pescado, a atenção tem incidido para a capacitação contínua dos pescadores visando o melhor exercício e boas práticas de conservação do pescado, a fim de conferir um bom valor nutritivo aos consumidores. Por conseguinte, uma outra actividade que é feita paralelamente à de investigação pesqueira, é a inspecção do pescado.

Sendo assim, e conforme a fonte governamental, durante o ano transacto obtiveram um licenciamento sanitário 2O unidades produtivas contra 18 de igual período do ano anterior, representando um crescimento na ordem de 11.1 por cento.

Durante o período em referência, foram emitidos 19 certificados sanitários, desta feita para a exportação de 331,7 toneladas de conchas ornamentais para os mercados asiático e europeu, concretamente Malásia, China, Hong King e Espanha.

No mesmo período foram emitidas 26 licenças sanitárias, contra 53 de 2OO9, para a importação de 2.423,5 toneladas de produtos de pesca (carapau e sardinha), provenientes da África do Sul, Nova Zelândia, Namíbia, Marrocos e Taiwan.

Em relação às infraestruturas de apoio à pesca e comercialização, o governo provincial diz que foram já concluídas as obras de construção dos mercados de Quissimanjulo, na cidade portuária de Nacala, e na vila sede distrital de Memba.

Encontra-se na fase conclusiva a construção dos mercados de Matibane e Mossuril, Metal Box em Angoche, e Carrupeia, na cidade de Nampula. Igualmente foi iniciada a construção de mercados de primeira venda em Simuco e Baixa Pinda, no distrito de Memba.

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts

error: Content is protected !!