Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Namacurra ainda vive de promessas

Enquanto o “mundo” de promessas não se efectiva, a população do distrito de Namacurra, ainda vai vivendo na esperança de que um dia, tudo será possível. Mesmo com os 41 anos da elevação a categoria de vila, ainda persistem problemas de falta de emprego, jovens, os tais da geração da viragem, vão se virando vendendo frutas, correndo atrás de carro que pare, enfim. Este é o dia-adia da população de Namacurra.

E esta quinta-feira, o grito não é pouco. Populares daquela vila, clamam por falta de água, emprego, instituição bancária para poupanças e muitas outras coisas. No meio destas dificuldades todas, há quem vê desenvolvimento naquele distrito e fala dum futuro promissor, olhando aquilo que foi o passado. Fala-se de que o distrito poderá ter a partir do próximo trimestre uma fábrica de descasque de arroz e um laboratório desta mesma cultura.

As autoridades do distrito, na pessoa do respectivo administrador, Pedro Fazenda Sapange, fala deste projecto e avançou ao nosso jornal que a mesma unidade de processamento do arroz já é uma realidade. Porque na óptica dele, o governo distrital já tem a planta do empreendimento, dai que dentro dos próximos meses, começaram as obras no seu verdadeiro sentido.

Mas também, Sapange fala os constrangimentos que assolam o distrito, sobretudo a vila sede. Um sistema de abastecimento de água obsoleto, o que leva muitos residentes da vila a consumirem em muitos casos água não apropriada. Neste momento, de acordo com a fonte, o governo distrital, socorre-se com fonte de abastecimento de água construídos pela empresa Água Rural, mas que em alguns casos não tem satisfeito a população.

Distrito avançou

O administrador distrital, de viva voz assegurou que Namacurra de 2004 não é o mesmo de 2009. “Há muita coisa que o governo fez para este distrito”-disse Pedro Sapange para depois enumerar algumas coisas, tais como aumento da produção agrícola, construção de mais salas de aulas, instalação de órgãos de justiça ao nível do distrito, etc. Mas a fonte, diz que um grande marco que poderá ficar na história é a introdução do ensino pré-universitário naquele distrito. Com este ensino, os alunos não precisam de ir a Mocuba ou Quelimane para frequentarem as classes do ensino préuniversitário.

“Pensamos que este foi o maior ganho que tivemos, mas temos que fazer mais”-reconheceu o administrador. Refira-se que para além da habitual cerimónia de deposição de coroa de flores na praça dos heróis, os residentes da vila de Namacurra, ainda bem que foram concedidos tolerância de ponto, vão também assistir a final do festival da cultura, fase distrital que encerra esta quinta-feira…….

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts

error: Content is protected !!