Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Diário da campanha eleitoral: arranca com promessas, em Quelimane

No primeiro dia de campanha, com vista às eleições de 7 de Dezembro, Abubacar Bico (Frelimo) defendeu a expansão da rede de abastecimento de água e energia aos bairros; enquanto Manuel de Araújo (MDM) reivindicou um ruptura com um presente “tem ajudado a multiplicar o desemprego”.

Abubacar Bico Abubacar

Bico começou a sua campanha falando da necessidade de ter as estradas urbanas e suburbanas em condições, justificando que tal facilitará a circulação de pessoas e bens, assim como a rápida evacuação de doentes para o Hospital Provincial de Quelimane. No que diz respeito aos serviços básicos, Bico referiu que a sua governação pautará pela expansão da rede de abastecimento de água e energia aos bairros. “Temos que estar organizados para combater o crime nos bairros. E iluminando os bairros podemos alcançar esse objectivo”, referiu.

Araújo contra o situacionismo

Manuel de Araújo começou a sua campanha dizendo que as eleições do dia 7 de Dezembro serão um momento clarificador da democracia e representarão uma escolha entre o situacionismo e a vontade de mudar: “Foram 36 anos de falta de investimento, de destruição e esquecimento a que foi votada a nossa terra. Sim. Destruição. Foram 36 anos de humilhação, de falta de recursos, de falta de escolas e carteiras”, defende. Para o candidato do MDM, o subdesenvolvimento do Município de Quelimane tem uma explicação cristalina: “continuam a enviar para esta província quadros incompetentes para ajudarem a destruir os nossos recursos, para ajudarem a destruir a nossa economia, para ajudarem a criar o desemprego…e a roubarem a nossa riqueza”. Com este quadro Araújo crê que há, nos munícipes, “a vontade de uma mudança intransigente, contra a injustiça, ou o situacionismo que quer manter Quelimane e os seus poderes económicos e sociais exactamente como eles estão”. “Esta é uma oportunidade única em 36 anos de história que temos para mudar as nossas vidas”.

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts

error: Content is protected !!