Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Diário da campanha eleitoral: arranca com promessas, em Quelimane

No primeiro dia de campanha, com vista às eleições de 7 de Dezembro, Abubacar Bico (Frelimo) defendeu a expansão da rede de abastecimento de água e energia aos bairros; enquanto Manuel de Araújo (MDM) reivindicou um ruptura com um presente “tem ajudado a multiplicar o desemprego”.

Abubacar Bico Abubacar

Bico começou a sua campanha falando da necessidade de ter as estradas urbanas e suburbanas em condições, justificando que tal facilitará a circulação de pessoas e bens, assim como a rápida evacuação de doentes para o Hospital Provincial de Quelimane. No que diz respeito aos serviços básicos, Bico referiu que a sua governação pautará pela expansão da rede de abastecimento de água e energia aos bairros. “Temos que estar organizados para combater o crime nos bairros. E iluminando os bairros podemos alcançar esse objectivo”, referiu.

Araújo contra o situacionismo

Manuel de Araújo começou a sua campanha dizendo que as eleições do dia 7 de Dezembro serão um momento clarificador da democracia e representarão uma escolha entre o situacionismo e a vontade de mudar: “Foram 36 anos de falta de investimento, de destruição e esquecimento a que foi votada a nossa terra. Sim. Destruição. Foram 36 anos de humilhação, de falta de recursos, de falta de escolas e carteiras”, defende. Para o candidato do MDM, o subdesenvolvimento do Município de Quelimane tem uma explicação cristalina: “continuam a enviar para esta província quadros incompetentes para ajudarem a destruir os nossos recursos, para ajudarem a destruir a nossa economia, para ajudarem a criar o desemprego…e a roubarem a nossa riqueza”. Com este quadro Araújo crê que há, nos munícipes, “a vontade de uma mudança intransigente, contra a injustiça, ou o situacionismo que quer manter Quelimane e os seus poderes económicos e sociais exactamente como eles estão”. “Esta é uma oportunidade única em 36 anos de história que temos para mudar as nossas vidas”.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts

error: Content is protected !!