Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Mulher violentada por usar telemóvel do marido para enviar mensagem em Xai-Xai

Um homem encontra-se preso, desde a semana finda, acusado de agredir brutalmente a própria mulher e provocar-lhe ferimentos, na cidade de Xai-Xai, província de Gaza, supostamente porque ela utilizou o seu telemóvel sem permissão para informar à sogra que a neta não gozava de boa saúde.

O acto aconteceu no bairro Patrice Lumumba. Segundo a ofendida, ela não dispunha, no seu telemóvel, de Short Message Service, que em português significa serviço de mensagens curtas, vulgo SMS, para se comunicar com a sua mãe sobre a saúde da filha.

Neste contexto, ela recorreu ao telemóvel do marido, mas este não gostou, ficou endiabrado e partiu para a violência. “Apertou-me o pescoço com muita força e dizia que queria me matar”, disse a vítima, com os olhos avermelhados devido à dor que o assunto lhe causa.

A senhora contraiu ferimentos graves no membro superior esquerdo e algumas escoriações na face. Uma fonte do Hospital Provincial de Xai-Xai, para onde foi socorrida pelos vizinhos, declarou ao @Verdade que ela está bem de saúde, mas as cicatrizes resultantes das feridas no braço irão permanecer pelo resto da vida.

A Procuradoria Provincial de Xai-Xai solicitou à medicina legal a reavaliação do estado de saúde da vítima para os necessários passos subsequentes.

O Gabinete de Atendimento Integrado às Vítimas de Violência Doméstica em Gaza está ao corrente do facto, mas, a par da Polícia da República de Moçambique (PRM), apelou à sociedade, principalmente aos casais, para que não resolvam os seus problemas recorrendo à violência. Em caso de persistência do desentendimento deve-se, sempre, recorrer às entidades competentes.

Sobre esta ocorrência, o presumível agressor admitiu que bateu na esposa, com recurso um pau, mas negou que a sua intenção era matá-la.

Para não dizer que o seu acto é indefensável, além de que é punível nos termos da lei, o homem alegou que não sabia o que é que se passava na sua cabeça, naquele momento.

“Ela foi à cozinha buscar um ferro para partir a loiça que estava arrumada na sala. Encontramo-nos na porta da sala e aí ela levou bem porrada”, disse o homem.

A mulher afirmou, em tom de revolta, que perdeu confiança no marido, por isso, exige separação. Ela não acredita que o cônjuge esteja arrependido, porque não é a primeira vez que sofre agressão física e outro tipo de maus-tratos.

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts

error: Content is protected !!