Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Mulher moçambicana deve estar na vanguarda do combate à pobreza

A presidente da Organização da Mulher Moçambicana (OMM) e primeira dama do país, Maria da Luz Guebuza, disse em Nampula que aquele extracto social deve estar na vanguarda no combate à pobreza, à mortalidade infantil e ao analfabetismo, engajando-se na produção como forma de contribuir para o desenvolvimento sócio-económico de Moçambique.

Da Luz Guebuza que falava, na abertura da sexta conferência provincial da organização que tem como objecto final a eleição de nova direcção na província de Nampula e de delegadas ao terceiro congresso da OMM, apelou às conferencistas no sentido de terem sempre presente a consciência na altura de escolher os futuros dirigentes da organização.

Para a presidente da OMM, a eleição de novos corpos sociais que, nos próximos cinco anos, vão dirigir a organização na província de Nampula, assim como as delegadas que vão ser eleitas ao congresso a ter lugar na capital do país, torna-se um momento importante depois de se terem cumprido todas as outras fases anteriores e não poderá ser afectado por questões mesquinhas que, eventualmente, provoquem divisões no seio dos membros da organização.

Por favor não nos podemos dividir por questões mesquinhas nesta altura crucial. Antes pelo contrário, devemos avançar como as ondas do mar para podermos chegarmos ao fim dos nossos trabalhos bem sucedidas, por forma a cumprir com aquilo que constitui a aposta do nosso partido e governo que é acabar com a pobreza absoluta no nosso país, observou Maria da Luz Guebuza.

Aliás, o primeiro secretário do comité provincial do partido Frelimo, Zacarias Ivala, exortou as 245 delegadas que vão revitalizar dos órgãos sociais da organização e eleição de delegadas ao terceiro congresso da OMM, que a realização daquela conferência não é para promover ganhadoras e penalizar as perdedoras. Pois que a única a ganhar com o trabalho que vai ter lugar é a própria agremiação.

Quem não for eleita não terá o direito de virar as costas à organização. Pois que deverão todas juntar esforços para os desafios que se colocam à OMM na libertação da mulher moçambicana e da nossa sociedade e dos males que se consubstanciam na miséria, na fome, no analfabetismo, nas doenças, na violência, enfim na pobreza, anotou Zacarias Ivala.

Para a revitalização dos órgãos directivos do secretariado provincial da OMM em Nampula, concorrem para o cargo de secretária provincial a actual dirigente interina, Lúcia Amisse e Alice Sequeira, que esteve à frente da organização no distrito de Angoche, segundo avançou fonte fidedigna ligada aos trabalhos do encontro que termina esta madrugada e que vai, ainda, debruçarse sobre os relatórios de conta e de actividade do secretariado cessante.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts

error: Content is protected !!