Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Mulher fere-se numa explosão de garrafa de gasolina em Cabo Delgado

Uma cidadã de 38 anos de idade está gravemente ferida em consequência da explosão de um recipiente de gasolina, na passada sexta-feira (17), no distrito de Metuge, província de Cabo Delgado.

O incidente aconteceu quando a vítima se encontrava a fumar cigarro muito próximo da referida vasilha plástica de gasolina.

No momento em que a explosão ocorreu, a cidadã preparava-se para se deslocar a um distrito da mesma província onde pretendia efectuar cobranças do dinheiro resultante da venda de combustível.

Antes de iniciar a referida viagem, a cidadã pediu ao irmão para ficar comercializar o combustível dela, mas a mãe imiscui-se na conversa dos filhos tentando convencer a filha a não viajar no sentido de evitar confusão.

Consta que a progenitora sugeriu que a filha aguentasse mais alguns dias enquanto os clientes se organizavam para pagar a tal dívida.

Como forma de aliviar o stress, a vítima acendeu um cigarro enquanto estava perto dos recipientes de combustível, tendo a vasilha rebentado ao ser atingida por uma beata.

A vítima disse ainda que o produto estava acondicionado em bidões de cinco litros cada. A saúde considera de crítico o estado da paciente, uma vez que as feridas resultantes de queimaduras exigem um acompanhamento aturado.

A mãe confirmou as declarações da filhas, mas há informações dando conta que a cidadã tentou se suicidar devido ao pedido de separação por parte do companheiro.

Refira-se que a persistência da venda de combustível no mercado negro constitui um o perigo para os comerciantes, compradores e demais pessoas, segundo Inácio Dina, porta-voz do Comando-Geral da Polícia da República de Moçambique (PRM).

Na semana passada, a PRM aprendeu 3.157 litros de combustível em Nampula. Mas na semana anterior a esta foram confiscadas 12.733 litros de combustível em Gaza, Inhambane, Manica e Nampula.

Na altura, Inácio Dina disse que ocorrem acidentes graves por conta do “manuseamento inseguro e ilegal de combustível”.

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts

error: Content is protected !!