Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Moradores do Bairro do Aeroporto desgastados com a TPB

O Director Provincial dos Transportes e Comunicações em Sofala, Paulo Isidoro, prometeu em entrevista ao nosso jornal averiguar a situação que leva a Empresa Pública Transportes Públicos da Beira (TPB-EP) a descumprir o horário normal que deveria ser observado na rota Maquinino Aeroporto e vice-versa.

Faz tempo que os utentes dos Transportes Públicos da Beira vêem se queixando do facto de esta empresa pública interromper as suas carreiras naquela rota as 20:00 horas, porquanto sempre foi até a meia noite. O pior é que muitas das vezes os autocarros dos TPB não chegam sequer a circular até as 20:00 horas.

Esta situação tem criado enormes constrangimentos para os residentes no Bairro do Aeroporto, sobretudo os estudantes que frequentam o curso nocturno nos vários estabelecimentos de ensino localizados nas zonas próximas da baixa.

Agrava a situação o facto de os transportadores privados geralmente tem recolhido as suas viaturas por volta das 20:00 horas para permitir repouso da tripulação que tem de começar o dia seguinte as cinco horas.

Consequentemente, os residentes no Bairro do Aeroporto e arredores a partir das 20:00 horas tem dependido de transportadores “piratas”, uma situação que o próprio Governo não permite que aconteça.

Outras vezes, dependendo da disponibilidade financeira de momento, são sujeitos a se associarem em pequenos grupos de três a quatro passageiros para alugar táxi que chega a custar entre 250 a 300 meticais.

Entretanto, sabe-se que a empresa Pública Transportes Públicos da Beira nas restantes rotas urbamas cobre até a meia-noite.

O Director Provincial dos Transportes e Comunicações em Sofala mostrou-se surpreendido com essa situação discriminatória aos residentes no Bairro do Aeroporto.

“Francamente não tenho conhecimento dessa realidade” – afirmou, tendo acrescentado que “estou a tomar conhecimento agora convosco”.

A autoridade governamental prometeu averiguar a situação, para perceber o que se passa, e daí tomar medidas correctivas. A TPB entanto que empresa pública subordina-se ao Ministério dos Transportes e Comunicações. A empresa alega a criminalidade para interromper mais cedo a circulação dos autocarros na linha do Aeroporto.

No Bairro do Aeroporto existe uma esquadra da Polícia da República de Moçambique (PRM) e dois quartéis das Forças Armadas de Defesa de Moçambique (FADM), nomeadamente a Base Aérea e a Base Anti-Aérea.

A terminal dos autocarros da TPB está a escassos metros da Base Aérea e da mais movimentada discoteca da Cidade da Beira, designadamente Monte Verde.

Nos últimos tempos a empresa pública TPB tem sido igualmente denunciada de estar a preterir da sua responsabilidade de assegurar o transporte urbano público, privilegiando a exploração das rotas inter-provinciais.

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts

error: Content is protected !!