Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Moçambola: Fecharam as cortinas

Ferroviário de Pemba, FC Lichinga e Textáfrica descem de divisão. A última jornada do campeonato despromoveu o histórico emblema de Manica e o estreante clube de Pemba. Pouco mais havia para discutir na ronda 26; foi domingo de festa para Atlético Muçulmano e Ferroviário da Beira, pela permanência; foi domingo de celebrações na Matola, onde o campeão nacional saiu à rua para festejar um já conquistado Moçambola.

No mesmo campo, mesmo sem ter marcado, Jerry coroou-se o rei dos golos, mas viu o seu Ferroviário descer na tabela classificativa para o terceiro lugar; No campo do Maxaquene, um golo de Mustafa, levou os tricolores para o segundo lugar.

A jornada abriu com dois jogos que pouco decidiam. Em Tete houve três golos, três para o HCB de Songo, nenhum para o Sporting da Beira, que falhou o assalto ao oitavo lugar. Aí ficou o Costa do Sol. O Vilankulo FC bateu o Costa de Sol e conseguiu terminar o campeonato no sexto lugar. Depois de terem sido a sensação da prova durante grande parte da temporada, não se pode dizer que não é prémio justo para os homens de Inhambane.

Pouco depois, Atlético, Ferroviário da Beira, Textáfrica e FC Lichinga lutavam para não descer. Os primeiros salvaram-se. O Atlético bateu o Desportivo, pelo segundo ano consecutivo, confirmou uma recuperação espantosa no Moçambola e festejou. Os locomotivas receberam no seu reduto os fabris de Chimoio e garantiram a presença no escalão principal. Mais uma vez, Akil Marcelino sai como herói, mais uma vez o treinador residente do Ferroviário passou as tormentas.

Costa do Sol e Desportivo corriam atrás e atrás ficaram. Os primeiros perderam em Vilanculos e comprovaram as dificuldades dentro de campo. Foi o ano em que passaram três treinadores, começaram com João Chissano, depois Rui Évora e, por último David Mandigora. Já o Desportivo tinha responsabilidades acrescidas no campeonato. Talvez os jogadores sejam os menos culpados de uma temporada desastrosa e mal planeada.

Na Matola era dia de encerrar as comemorações do campeonato. Pela frente um Ferroviário que queria o segundo lugar do Maxaquene. Vitória por uma bola frente aos comandados de Chiquinho Conde. A Liga foi claramente superior. Na verdade, houve mais para contar para lá do apito, do que propriamente nos 90 minutos.

Os adeptos não arredaram pé e o Moçambola teve cerimónia de encerramento no relvado do campeão, com a entrega da Taça e das medalhas.

Confira os resultados da 26ª e última Jornada:

Vilankulos FC 1 x 0 Costa do Sol

HCB Songo 3 x 0 Sporting da Beira

Atlético Muçulmano 2 x 0 Desportivo

FC Lichinga 0 x 0 Fer. Pemba

Liga Muçulmana 1 x 0 Fer. Maputo

Maxaquene 1 x 0 Matchedje

Fer. Beira 2 x 0 Textáfrica

A Classificação final do MOÇAMBOLA ficou assim ordenada

J   V  E   D   B   P
1º Liga Muçulmana          26 18 4 4 42-12 58
2º Maxaquene                 26 15 6 5 27-14 51
3º Ferroviário d Maputo    26 14 7 5 41-20 49
4º HCB Songo                 26 12 10 4 30-17 46
5º Matchedje                  26 9 7 10 19-23 34
6º Vilankulo FC               26 8 10 8 21-24 34
7º Desportivo                 26 7 10 9 17-23 31
8º Costa do Sol               26 8 7 11 30-27 31
9º Ferroviário da Beira     26 7 8 11 21-26 29
10º Sporting da Beira      26 7 7 12 27-34 28
11º Atlético Muçulmano   26 6 10 10 18-27 28
12º Textáfrica                 26 6 8 12 16-23 26
13º FC Lichinga               26 5 9 12 13-31 24
14º Ferroviário de Pemba 26 5 5 15 15-29 23

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts

error: Content is protected !!