Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Moçambique prepara- se para a o Expo Xangai 2010

Moçambique está a preparar-se, a todo gás, para participar na Exposição Mundial de Xangai 2010, a ter lugar naquela que é a maior cidade chinesa entre 1 de Maio e 31 de Outubro próximos. Falando esta última sexta-feira, na cerimónia de lançamento oficial da participação do país neste certame, o Ministro da Cultura, Armando Artur, disse que o evento será um momento propício para Moçambique abordar matérias relacionadas com a sua realidade.

“O pavilhão de Moçambique foi concebido de modo a revelar uma mais real do país, exibindo as suas potencialidades em diversas áreas como na de cultura, turismo, educação, entre outras”, disse Artur, numa cerimónia em que também participou o Encarregado de Negócios da Embaixada da China em Maputo, Lei TongLi. Ao organizar este evento, o Governo chinês espera que Xangai crie oportunidades para a China ver o mundo e o mundo ver a China. Espera-se que cerca de 70 milhões de pessoas visitem a exposição durante os seis meses da sua duração.

Para permitir uma maior participação das sociedades neste certame, a China disponibilizou cerca de 100 milhões de dólares para garantir assistência aos países que tencionam participar no evento. Deste fundo, Moçambique beneficia de 650 mil dólares, valor a ser usado para a construção do seu pavilhão, sua manutenção, bem como para custear outras despesas logísticas. O ‘stand’ de Moçambique estará localizado num pavilhão comum que vai albergar um total de 42 países africanos, cada um ocupando uma área de 225 metros quadrados.

“Moçambique vai dedicar 454 mil dólares do montante global oferecido pela China para a construção do pavilhão. Um contracto para este afeito já foi rubricado”, disse Armando Artur. O Comissário – Geral de Moçambique para este evento, Américo Magaia, disse que, além dos 225 metros quadrados, o país conta com um outro espaço adicional de nove metros quadrados no exterior do pavilhão.

Neste espaço, chamado Bazar, Moçambique vai expor (para a venda) diversos artigos de arte, como CDs de música, esculturas, entre outros materiais. Contudo, ele disse que esta não é uma feira comercial, mas sim um espaço para o país expor toda a sua realidade. Na mesma cerimónia, o Encarregado de Negócios da Embaixada da República da China em Moçambique, Lei Tong Li, disse que mais de 200 países já confirmaram a sua participação neste evento. Ele disse esperar que a delegação moçambicana tenha grandes êxitos neste que é um dos maiores eventos realizados no mundo, depois da crise financeira internacional.

Esta é a primeira exposição do género a acontecer numa cidade chinesa, do total de 85 exposições mundiais já realizadas. Nos últimos 15 anos, Moçambique participou em quatro exposições mundiais, sendo a de Sevilha em 1992, Lisboa em 1998, Haurível em 2000 e Zaragoza, em 2008. O evento vai decorrer sob o tema “Melhor cidade, melhor vida”, mas Moçambique pediu (e foi autorizado) trocar o texto para “Melhor distrito, melhor vida” de modo a acomodar a estratégia do governo segundo a qual o “Distrito é o Pólo de Desenvolvimento”.

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts

error: Content is protected !!