Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Moçambique estará livre de minas anti-pessoais até Dezembro deste ano

Até 31 de Dezembro próximo, Moçambique estará livre de minas anti-pessoais semeadas durante a guerra dos 16 anos, tal como impõe a Convenção de Otava, um instrumento cuja implementação iniciou em Março de 1999 e que prevê a proibição do uso, armazenamento, produção e transferência de minas anti-pessoais e a sua destruição.

Henrique Banze, vice-ministro dos Negócios Estrangeiros e Cooperação, disse que as ONG’s vão desembolsar cerca de 12 milhões de dólares norte-americanos para a remoção de engenhos explosivos nas províncias de Manica, de Tete e de Sofala.

Em Sofala existe uma área de 4.5 milhões de metros quadrados por desminar este ano, mas o processo depende das facilidade de acesso a algumas zonas abrangidas pelo conflito armado que assola o país, mormente a zona centro, desde o ano passado.

Henrique Banze falava em Maputo, esta quinta-feira (12), numa conferência de imprensa de preparação da 3ª Conferência de Revisão da Convenção de Otava, a decorrer na capital moçambicana de 23 a 27 de Junho corrente.

Segundo ele, de 2007 a esta parte foram removidas 100 milhões de minas em Maputo, Gaza, Inhambane, Niassa, Cabo Delgado, Zambézia e Nampula. Estas acções custaram cerca de 200 milhões de dólares norte.

 

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Related Posts

error: Content is protected !!