Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Moçambique e Vietname assinam acordo de cooperação policial

Moçambique e Vietname assinaram, sexta-feira, em Maputo, um acordo de cooperação para o reforço da capacidade operacional e institucional da Polícia da República de Moçambique (PRM) na prevenção e combate à criminalidade.

O acordo, rubricado pelo ministro moçambicano do interior, Alberto Mondlane, e da segurança pública da República Socialista do Vietname, Le Hong Anh, estabelece as modalidades de operacionalização da intenção, uma iniciativa que inclui a componente formação de quadros.

No âmbito do acordo, serão realizadas actividades que visam prevenir e combater o crime organizado, incluindo a lavagem de dinheiro, o crime informático, o terrorismo, bem como a partilha de informações e de experiências no domínio policial.

No domínio da formação, serão desenvolvidas acções para aumentar a capacidade técnico-profissional dos funcionários e agentes da PRM, bem como a troca de delegações de alto nível.

Falando a jornalistas minutos após o termino da cerimónia, Mondlane destacou as relações de amizade e cooperação entre os dois países e povos, que datam desde os tempos da luta de libertação nacional.

Afirmou que essas relações têm vindo a desenvolver-se cada vez mais, em vários domínios, desde que Moçambique alcançou a sua independência em 1975.

Realçou que os dois países têm vindo a tirar proveitos mútuos no âmbito do relacionamento entre si e que Moçambique reconhece o desenvolvimento, as experiências, bem como a evolução que o Vietname atingiu na área de prevenção e combate à criminalidade.

Questionado sobre o início da formação de quadros moçambicanos, Mondlane afirmou que tem efeitos imediatos, ressalvando, no entanto, que é necessário criar todas as condições logísticas e de preparação de pessoal a ser formado, bem como clarificar as áreas em que a formação irá incidir.

“O nosso desejo é tirar o máximo proveito”, sublinhou Alberto Mondlane. Avaliando o impacto dos crimes informáticos na vida do país, disse que as autoridades do sector estão preocupadas desde que o mundo começou a registar sinais deste tipo de delito.

O Ministro do Interior explicou que Moçambique é membro da Interpol (polícia internacional) e de organizações a nível da região, no âmbito dos quais procura melhorar, aprimorar e preparar-se cada vez mais em termos de recursos humanos e meios tecnológicos para melhor responder ao problema.

Alberto Mondlane clarificou que o acordo de cooperação com o Vietname naqueles domínios é infinito, porque as exigências de combate ao crime são sempre permanentes.

Por seu turno, o ministro da segurança pública do Vietname, Le Hong Anh, também destacou as relações existentes entre os dois países e povos e as áreas em que a cooperação com as autoridades policiais moçambicanas deverá recair e os resultados esperados.

Sexta-feira, o ministro vietnamita e comitiva foi recebido, em audiência de cortesia, pelo Ministro da Defesa Nacional, Filipe Nyusi, em representação do Primeiro-Ministro moçambicano. A delegação visitou a Academia de Ciências Policiais (ACIPOL) e a empresa de telefonia Movitel.

Entretanto, o ministro da segurança pública do Vietname foi recebido na sexta-feira em audiência de cortesia, pelo secretário-geral da Frelimo, Filipe Paúnde., num encontro em que serviu para passar em revista as relações de amizade e cooperação entre os dois partidos. Le Hong Anh é membro do bureau político do partido comunista do Vietname.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts

error: Content is protected !!