Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Moçambique detém apenas 0,08% em investimento directo no exterior

Cerca de 0,08% do investimento directo moçambicano no exterior constitui a “ínfima quota” de activos externos totais que o país detinha entre 2009 e 2010, dos quais cerca de 67% eram depósitos de bancos comerciais domésticos.

Em 2010, o investimento directo do país no exterior tinha uma magnitude de 1825 milhões de dólares norte-americanos e estava a ser aplicado nos Estados Unidos da América, Reino Unido, África do Sul e Portugal, segundo o Banco de Moçambique (BM), sublinhando que estes eram os principais países de destino dos capitais moçambicanos investidos no exterior.

Na sua maioria eram do sector financeiro, na taxa de 74,4%, indústria transformadora (8,9%) e do sector de produção e distribuição de electricidade, gás e ar condicionados na proporção de 8,3%.

Uma elevada parcela de activos é de curto prazo e, considerando que é constituída por depósitos dos bancos comerciais no exterior, os mesmos podem ser considerados parte dos activos de reserva em “sentido lato”, segundo a mesma instituição financeira que serve de banqueiro do Estado moçambicano.

Comparando a origem dos capitais com a dos bens importados que afectam primariamente a capacidade de oferta da economia, destaca-se a “significância da África do Sul” na origem tanto dos capitais como dos bens.

As Maurícias, Portugal e a Austrália destacaram-se na origem dos capitais, mas não dos bens, enquanto os Países Baixos, a Índia, China e o Japão são países de origem dos bens e não da origem dos capitais.

No tocante ao destino dos capitais e das exportações que afectam o lado da utilização, a economia sul-africana afirma a sua primazia nas duas categorias com 13% e 21%, respectivamente, enquanto Portugal absorve 13% dos capitais e 4,8% das exportações.

Outras economias como os Países Baixos e a China aparecem como países de absorção das exportações, com um peso mínimo no destino dos capitais, enquanto os Estados Unidos da América e o Reino Unido agregam individualmente 26% dos capitais investidos no exterior.

Estas informações constam num documento do BM que apresenta a magnitude, estrutura e características dos activos e passivos financeiros de empresas moçambicanas no exterior e resulta de um inquérito realizado sobre o assunto cobrindo 2009 e 2010.

O trabalho foi feito através dos relatórios e contas das empresas envolvidas e a partir das respostas recebidas de 151 empresas privadas financeiras e não-financeiras. Foram inquiridas 191 empresas.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts

error: Content is protected !!