Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Moçambicanos ouvidos num julgamento de piratas na Índia

Pelo menos seis cidadãos moçambicanos poderão depor em tribunal indiano sobre o caso que envolve 120 piratas somalis detidos em 2011 ao longo do Oceano Índico onde estavam na posse de dezenas de pessoas feitas reféns.

Trata-se de parte dos 12 moçambicanos resgatados pela Marinha de Guerra Indiana em Março de 2011 quando esta atacou uma embarcação na posse de piratas somalis.

Na sequência da troca de tiros, o barco moçambicano entrou em chamas e parte da tripulação lançou-se ao mar. Nessa operação, a Marinha de Guerra indiana conseguiu resgatar 13 membros da tripulação – 12 moçambicanos e um indonésio – do barco moçambicano que havia desaparecido em finais de Dezembro de 2010.

Na mesma ocasião, pelo menos 61 piratas somalis foram capturados pelos militares indianos. Aparentemente, só agora as autoridades indianas começaram a julgar este caso. Segundo reporta a imprensa daquele país asiático, o tribunal havia programado ouvir as testemunhas estrangeiras a partir desta Terça-feira.

De acordo com o jornal “The Times of India”, Moçambique deverá ser o primeiro país a enviar os seus cidadãos à Índia para deporem neste caso.

“A Embaixada de Moçambique enviou uma carta ao governo dando uma luz verde aos seus cidadãos”, disse fonte policial da Índia, citada por esta publicação. No total, o tribunal indiano arrolou 74 testemunhas estrangeiras a serem ouvidas.

Trata-se de cidadãos de diversos países, incluindo Moçambique, Bangladesh, Indonésia, Irão, Mianmar, Paquistão e Tailândia resgatados pelas forças indianas da Marinha de Guerra e da guarda costeira.

Deste grupo, pelo menos 40 já haviam dado depoimentos a um magistrado antes de sair da Índia em 2011. Alguns deles haviam até identificado as pessoas acusadas. Os outros países também já prom- eteram enviar os seus nacionais para Índia de modo a deporem em tribunal.

As autoridades indianas irão arcar com as despesas de viagens das testemunhas. Na Índia, cada testemunha terá um dia para interrogatório e contra-interrogatório. Os piratas são acusados de crimes de rapto, homicídio e desencadeamento de guerra contra a Índia. Este poderá ser o primeiro julgamento dum caso de pirataria envolvendo testemunhas moçambicanas.

Os moçambicanos a serem ouvidos viveram mais de três meses nas mãos de piratas somalis que haviam capturado a embarcação de pesca “Vega 5” ao largo ada costa da província meridional de Inhambane, transportando um total de 24 tripulantes, doas quais 19 moçambicanos, três indonésios e dois espanhóis.

Mesmo depois do resgate das forças indianas, pelo menos sete moçambicanos e dois indonésios foram dados como desaparecidos.

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts

error: Content is protected !!