Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

MISAU preocupado com incumprimento das metas de vacinação antitetânica

O Ministério moçambicano da Saúde (MISAU) diz estar preocupado com o não cumprimento das metas de vacinação anti-tetânica nas escolas do país. Esta preocupação foi apresentada recentemente em Maputo pelo Ministro da Saúde, Ivo Garrido, para quem há necessidade de haver uma máquina bem montada ao nível do seu sector para o cumprimento das metas.

De acordo com Garrido, todos os anos são vacinadas apenas 80 por cento das crianças que entram para a primeira classe em todo o país. O Ministro diz que desconhece as causas destas situação e acredita que, a partir de 2010, todas as crianças que entram para a primeira classe recebam a vacina. “Eu gostaria de saber o que se passa. Esperamos poder vacinar 100 por cento das crianças que entram pela primeira vez na escola a partir de 2010. Também esperamos desparasitar todas as crianças em idade escolar”, referiu.

Para Garrido não se justifica o incumprimento das metas de vacinação, uma vez que o objectivo é vacinar apenas as crianças que entram para a primeira classe e a vacina dura entre cinco e 10 anos. As crianças tomam a vacina antitetânica apenas uma vez na vida.

“Precisamos ter uma máquina bem montada para administrar a vacinação antitetânica às crianças que entram para a primeira classe”, disse. De acordo com dados do Ministério da Educação e Cultura, anualmente entram para a primeira classe em média 600 mil crianças, enquanto que outras cerca de seis mil em idade escolar estão, actualmente, fora do sistema nacional de ensino.

O tétano é causado pela bactéria “clostridium tetani”, que se pode encontrar no solo. A doença é caracterizada por rigidez muscular e espasmos ou contracções dos músculos da mandíbula, pescoço e membros. A imunização é o principal meio de prevenção do tétano, daí que se priorize a vacinação de crianças menores de sete anos, bem como mulheres em idade fértil, reduzindo deste modo o número de casos de tétano neo-natal. Moçambique iniciou em 1979 o Programa Alargado de Vacinação (PAV), providenciando protecção a crianças menores de cinco anos e suas mães contra tétano e outras cinco doenças preveníveis, nomeadamente tuberculose, difteria, tosse convulsa, poliomielite e sarampo.

O objectivo do PAV é reduzir a morbidade e mortalidade por doenças preveníveis por vacina.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts

error: Content is protected !!