Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

MISAU e parceiros analisam desnutrição crónica

Quadros do Ministério da Saúde (MISAU) e parceiros estiveram reunidos esta quarta-feira, em Maputo, para analisar a situação da nutrição em Moçambique e definir estratégias para reduzir a desnutrição crónica, através do plano de acção multissectorial a ser adoptado no Seminário Nacional sobre Nutrição, com início marcado para quinta-feira.

Na reunião técnica de ontema, inserida no seminário nacional, os quadros vão procurar consenso com vista a elaborar um Plano de Acção Nacional e Multissectorial de Redução da Desnutrição Crónica no país. No encontro de dois dias, sob o lema “Não Deixemos a Desnutrição Crónica Matar o Desenvolvimento em Moçambique”, analisar-se-á a situação nutricional no país, assim como alcançar consenso sobre a magnitude e os papéis de cada interveniente na redução da desnutrição e definir os próximos passos. Jorge Tomo, Secretário Permanente do MISAU, citando estatísticas do pelouro, disse, na ocasião, que 44 por cento das crianças moçambicanas sofrem de desnutrição crónica com todos os riscos e sequelas daí decorrentes.

“A desnutrição crónica afecta o desenvolvimento físico, mental, cognitivo e aumenta o risco de doenças crónicas na idade adulta, o que afecta o desenvolvimento e produtividade do indivíduo e da Nação”, disse Tomo. As causas da desnutrição crónica são múltiplas e, segundo Tomo, precisam de uma abordagem holística para ligar a produção de alimentos aos aspectos de saúde, uso e a utilização dos alimentos, consumo de água, higiene alimentar, saneamento do meio, comercialização e escoamento dos alimentos e demais acções relevantes.

Assim, o Secretário Permanente destacou a importância e urgência de medidas enérgicas e coordenadas para reverter o cenário actual. A sessão técnica deverá ainda preparar os consensos técnicos e preparar todos os documentos para a sessão política de quinta-feira, em que participarão membros do governo moçambicano e várias outras individualidades representantes de organizações afins.

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Related Posts

error: Content is protected !!