Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

MISAU anuncia vacina para combater o cancro do colo do útero

O Ministério da Saúde (MISAU), em coordenação com o Ministério da Educação (MINED), vai introduzir, dentro de dias, uma vacina para a prevenção do cancro do colo do útero com vista a reduzir a morte de mulheres, devendo até 2015 alcançar todas as raparigas com mais de 10 anos de idade.

O cancro do colo do útero é causado pelo vírus do papiloma humana e é transmitido através do acto sexual. Apesar de ser prevenível e curável, a doença ainda apoquenta muitas mulheres em Moçambique. As primeiras províncias a beneficiarem da referida vacina, descrita como altamente eficaz para a doença que se pretende combater, são Maputo, concretamente no distrito da Manhiça, Manica e Cabo Delgado, concretamente em Mocímboa da Praia.

O vírus é responsável por cerca de 75 por cento das causas do cancro do colo do útero, uma doença tida como a segunda mais comum entre as mulheres em todo o mundo, com cerca de 500 mil novos casos e 250 mil mortes por ano, segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS). E perto de 80 por cento desses casos ocorre em países pobres, como é o caso de Moçambique.

Fernando Mbofana, director nacional de Saúde Pública, disse na sexta-feira, em Maputo, a vacina será administrada três vezes nas raparigas que tenham ou que completem 10 anos de idade nos entre 2014 e 2015. Este grupo-alvo é o que ainda não iniciou a actividade sexual nem foi exposto ao vírus. E estudos provam que a vacina é mais eficaz quanto mais nova for a rapariga.

Haverá brigadas móveis que vão trabalhar nas escolas, nas unidades sanitárias e na comunidade para assegurar a abrangência do grupo alvo e espera-se vacinar 8.200 meninas. Refira-se que 80 por cento dos casos de cancro do colo do útero diagnosticados nas mulheres em Moçambique já estão em fase terminal, sendo praticamente impossível evitar a sua morte. Por isso, a introdução da vacina em alusão será muito importante para evitar a perda de vida das mulheres.

Facebook
Twitter
LinkedIn
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts

error: Content is protected !!