Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Minorias sexuais em Moçambique estão desprotegidas

A falta de um instrumento legal para proteger as minorias sexuais no país, lésbicas e homossexuais, faz com que esta camada social seja vulnerável e esteja sujeito à descriminação e restrição ao acesso aos serviços sociais básicos, sobretudo aos cuidados médicos, defende o docente da Universidade Eduardo Mondlane (UEM), Carlos Cuinhane.

Segundo o pedagogo, as mudanças nas práticas de sexualidade ainda não encontra uma protecção legal no território moçambicano, facto que haja ainda exclusão no acesso à educação, saúde, convívio social, dentre outros. O docente diz que o Governo deve criar condições para garantir a igualdade de direitos, pese embora haja falta de vontade política para o efeito.

“O Estado deve garantir que as minorias sexuais tenham inserção na sociedade com vista a remover os tabus, os preconceitos e as concepções erradas sobre essa camada social”, defende Cuinhane, para quem há necessidade de envolver a família para que se garanta que o indivíduo exerça a sua sexualidade sem limitação, ao contrário do que actualmente não acontece.

Facebook
Twitter
LinkedIn
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts

error: Content is protected !!