Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

MINAG prevê colher 15 milhões de toneladas de produtos agrários na campanha 2012/2013

Cerca de 15 milhões de toneladas de diversos produtos agrícolas é o resultado que o Ministério da Agricultura (MINAG) espera alcançar da campanha agrícola 2012/2013, segundo o ministro do pelouro, José Pacheco. Com a quantidade acima referida almeja-se ainda que haja um aumento significativo de exportações e consequente redução das importações dos produtos agrários.

Pacheco, que falava esta Quinta-feira (18), durante a sessão de perguntas ao Governo, na Assembleia da República (AR), disse estarem em cursos acções que visam massificar o uso de celeiros melhorados de modelo “Gorongosa”, treinar e capacitar os produtores na construção do celeiro com base em material local com vista a conservar e processar os excedentes agrários.

Para além destas estratégias, o Governo pretende disseminar a informação sobre as tecnologias de processamento de hortícola e frutas, quer do ponto de vista de conservação, assim como da preparação de alimentos tendo em vista a segurança alimentar que, segundo Pacheco, já beneficia cerca de cinco mil e quinhentos produtores agrários.

Ainda no âmbito da conservação, o ministro diz que está em curso a construção de cinco silos nas províncias de Sofala, Nampula e Niassa com capacidade agregada de armazenamento de 150 mil toneladas de cereais e edificação de raiz da agro-indústria nos distritos de Angónia, em Tete.

Relativamente às hortícolas, Pacheco apontou a instalação, no mercado grossista do Zimpeto, de dois sistemas de Frio para a conservação da batata Reno e hortícolas com sendo uma das medidas. Os referidos sistemas têm capacidades para armazenar, respectivamente, 60 e 264 toneladas. Disse ainda que está em curso a instalação de sala de empacotamento destes produtos, no distrito de Moamba, na província de Maputo.

No que respeita a gestão hidrográfica com vista a se minimizar os efeitos das cheias, o ministro disse que se está a proceder a actualização das regras de operação das barragens de Massingir, Pequenos Libombos e Corumana no sentido de conferir maior segurança das infra-estruturas. A estratégia do Governo inclui a reabilitação de diques de protecção das cidades de Xai-Xai e Chokwé, das descargas de fundo da Barragem de Massingir, do terraço a jusante de Macarretane, a reposição da Rede de Estações Hidro-climatológicas de Montepuez, Lugenda, Rovuma, Lugela, Monapo, Meluli, Lúrio, Incomati e Limpopo.

 

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts

error: Content is protected !!