Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Mercado da União Europeia continua aberto ao açúcar de Moçambique

Apesar de o açúcar moçambicano ter perdido o acesso ilimitado ao mercado da União Europeia (EU) devido à queda em 11% das exportações, em 2010, o mesmo mercado continua aberto a receber o açúcar moçambicano “em quantidades ilimitadas”, apurou, esta segunda-feira, o Correio da manhã de fonte competente do Ministério da Agricultura (MINAG).

“As açucareiras moçambicanas estão, afincadamente, empenhadas no aumento da produção para não mais se registarem casos de se transitar para um novo ano sem stocks suficientes para satisfação do mercado externo, particularmente, o da comunidade de países europeus”, indicou ao jornal Amélia Mondlane, do Centro de Promoção Agrária (CEPAGRI) do MINAG, anotando, no entanto, que o desejo pode não ser concretizado na sua plenitude, em 2011, devido à queda excessiva de chuva verificada em finais de 2010.

Prejuízos

A situação fez com que a Açucareira da Maragra, na província meridional do Maputo, por exemplo, não colhesse toda a cana que, em finais de 2010, estava pronta, “porque a chuva foi excessivamente abundante, impedindo, por várias semanas, que os tractores chegassem às áreas de cultivo para colher a cana”.

Como resultado, a cana foi perdida, “provocando enormes prejuízos aos camponeses produtores independentes responsáveis pela venda da mesma à açucareira, assim como à própria Maragra”, realçou Mondlane, sem indicar a quantidade da cana sacarina perdida devido ao excesso de chuva que disse ter-se registado no período do corte.

A previsão, entretanto, é de se aumentar a produção do açúcar em cerca de 8%, para 340 mil toneladas, contra 281,7 mil toneladas de 2010, segundo estimativas do Centro de Promoção Agrária.

Grupo ACP

Moçambique integra o grupo de países ACP (África, Caraíbas e Pacífico) autorizados pela União Europeia a exportar açúcar para aquela comunidade livre das taxas de exportação num volume mínimo de 1,3 milhão de toneladas por ano.

A medida tem em vista fazer com que os países beneficiários deixem de exportar o seu produto para o mercado internacional livre por não oferecer garantias de adquirir toda a quantidade que cada país tiver para exportar.

Em 2010, Moçambique arrecadou receitas de 50,7 milhões de dólares norte-americanos pela exportação de 107 989 toneladas de açúcar, das quais 82,9 mil toneladas para a União Europeia e o remanescente, estimado em 24,9 mil toneladas, para o mercado dos Estados Unidos da América (EUA).

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts

error: Content is protected !!