Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Membros da Frelimo e do MDM agridem-se na inauguração da estátua de Samora na Beira

Os apoiantes dos partidos Movimento Democrático de Moçambique (MDM) e Frelimo agrediram-se verbal e fisicamente (discussões e empurrões), há dias, na cidade da Beira, durante a cerimónia da inauguração da estátua de Samora Machel.

 

 

O incidente ocorreu na altura em que decorriam as cerimónias dirigidas pelo presidente da República, Armando Guebuza. O pior não aconteceu devido à pronta intervenção de agentes da Polícia.

Tudo começou quando um grupo de simpatizantes da Frelimo foi levantar as bandeiras do seu partido à frente do local onde estavam os simpatizantes do MDM.

Na Praça da Independência, onde agora está a estátua produzida na Coreia do Norte, estavam formados dois grupos, em representação de cada um dos dois partidos políticos: MDM e Frelimo, respectivamente.

Quando Daviz Simango discursou, vibrou o MDM, e quando foi a vez do governador Carvalho Muaria, vibrou o outro lado.

Os jovens da Frelimo que foram se meter no meio do grupo do MDM foram atacados como se fossem carneiros no meio de lobos. Aí começaram as discussões e empurrões.

Se não fosse a intervenção dos agentes da segurança que estavam a operar à paisana, e a Força de Intervenção Rápida, o vexame por que passaram os frelimistas poderia ter sido pior.

A Praça da Independência estava dividida. De um lado estavam os simpatizantes da Frelimo e do outro os simpatizantes do MDM que conta com muito apoio nesta cidade, que é afinal o seu berço político.

As cores das t-shirts e bonés pareciam que foram propositadamente imprensas da mesma cor (verde) para se confundirem. A diferença apenas estava nos logótipos e nas fotos dos presidentes de cada partido.

As t-shirts da Frelimo tinham estampado Guebuza. As do MDM tinham a imagem de Daviz Simango, seu presidente e presidente do Conselho Municipal da Beira.

Apesar das divergências políticas entre os membros, nos discursos os dirigentes evocaram Samora Machel. Daviz Simango, falando na qualidade de presidente do Município da Beira, disse que a inauguração de mais uma estátua de Samora Machel representa uma exaltação à figura e impulsiona os jovens da cidade a passarem a interessar-se pela história do País.

Já o governador de Sofala, Carvalho Muaria, disse que a inauguração da estátua de Samora Machel é uma das formas de imortalizar um dos filhos mais queridos do País.

Por seu turno, o presidente da República e presidente do partido Frelimo, Armando Guebuza, disse que a inauguração do monumento ao nacionalista Samora Machel, proclamador da Independência Nacional, significa o reconhecimento dos seus feitos.

“Nessa altura, concluir o 7º ano de escolaridade era uma festa na aldeia. Os nossos irmãos da Beira e de Sofala, são disso testemunhas”, disse Guebuza recordando que foi a 11 de Janeiro de 1980 que a Ofensiva Política e Organizacional foi lançada a partir da Beira.

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Related Posts

error: Content is protected !!