Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

MDN estuda criação de especialidade de enfermagem nas FADM

O Ministério da Defesa Nacional está a estudar a possibilidade de se criar um estabelecimento de formação na especialidade de enfermagem nas Forças Armadas de Defesa de Moçambique (FADM), nos esforços para melhorar a prestação de serviços ao nível da saúde militar.

O Ministro da Defesa Nacional, Filipe Nyussi, que anunciou esta iniciativa na quarta-feira, esclareceu que a referida escola, provavelmente a ser instalada em Maputo, vai começar com turmas pequenas, sendo o corpo docente constituído por médicos muito experientes, alguns dos quais estão a dar aulas em universidades existentes em Moçambique.

“Temos capacidade humana para operacionalizar uma escola de formação de enfermeiros militares e agora estamos a tentar criar capacidade material e infraestrutural e penso que dentro de pouco tempo, provavelmente até ao fim do presente ano (2010), poderemos arrancar com o primeiro curso”, realçou o Ministro.

Nyussi, que falava durante uma visita efectuada ao Hospital Militar de Maputo, destinada a observar as obras de reabilitação da enfermaria de cirurgia daquela unidade hospitalar, explicou que “sempre os enfermeiros e socorristas militares foram formados por militares, mas numa determinada altura esse processo de formação registou uma paragem, que para nós constitui uma lacuna”.

Para o governante moçambicano, o enfermeiro que trabalha no hospital militar não pode ser considerado um enfermeiro normal. “Um enfermeiro civil não pode fazer aquilo que faz um enfermeiro militar, por exemplo, em plenas operações militares”, frisou.

Segundo Filipe Nyussi, para além do Hospital Militar de Maputo, o Ministério da Defesa Nacional tem também o centro de Matacuane, na cidade portuária da Beira, na província central de Sofala, o Hospital Militar de Nampula, norte de Moçambique, e postos médicos em todas as unidades militares do país, que precisam de uma enorme quantidade de enfermeiros. “De igual modo, quando estamos em campanhas, no terreno, é preciso deslocar enfermeiros.

Portanto, é enorme a quantidade de enfermeiros que precisamos, sendo por isso que nós vamos criar uma escola de formação de enfermeiros, que contará com o concurso de alguns médicos estrangeiros que já deram aulas nos seus países”. No seio do Estado Maior-General das FDM, a ideia de se criar uma instituição de formação na área de enfermagem é bemvinda, uma vez que as Forças Armadas de Defesa de Moçambique precisam de ser reforçadas ao nível da saúde, sobretudo na classe de enfermeiros.

Entretanto, a enfermaria de cirurgia do Hospital Militar de Maputo em processo de reabilitação encontra-se inoperacional há cerca de quatro meses, e deverá entrar novamente em funcionamento ainda este ano, sendo as obras, financiadas através de fundos do Orçamento de Estado, avaliadas em cerca de 40 milhões de Meticais.

Após a conclusão das obras de reabilitação, a enfermaria terá capacidade para mais de 50 camas, devendo, de acordo com o Ministro da Defesa Nacional, a sua operacionalidade ser assegurada pelos quadros existentes na área da saúde.

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts

error: Content is protected !!