Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Maputo província com saldo positivo na produção agrícola

A província de Maputo conseguiu, desde 2012 ao primeiro trimestre do corrente ano, uma produção agrícola estimada em 5,9 milhões de toneladas de culturas diversas contra os 5,8 milhões do planificado, representando um grau de realização do plano de 102 por cento.

Os níveis registados representam, por outro lado, um crescimento de 13,6 por cento e nas culturas alimentares destaca-se a produção de tubérculos e hortícolas que representam 81,7 por cento (1,8 milhões de toneladas).

Estes dados foram revelados pela governadora da província, Maria Jonas, durante o informe do seu executivo, por ocasião da visita que o Primeiro Ministro, Alberto Vaquina, que efectua desde hoje uma visita a esta parcela do país, cujo objectivo é avaliar o desempenho em várias frentes de desenvolvimento socioeconómico.

Na Matola, primeira escala de um périplo que contempla ainda as vilas municipais de Manhiça e Boane, Vaquina recebeu informação sobre os avanços que a província tem vindo a lograr e, para consubstanciar a acepção, Maria Jonas apontou a título de ilustrativo que a área irrigada do sector familiar passou para 5.007 hectares contra os 4.287 da campanha 2010/11.

A consumação deste ganho, segundo a governadora, foi, dentre vários factores, fruto da alocação de quatro motobombas a preços bonificados, tendo beneficiado duas associações, bem como a alocação de 12 tractores a preços subsidiados, tendo beneficiado cinco distritos.

Na capital administrativa da província, Vaquina visitou ainda as obras de construção do futuro hospital provincial, financiado pelo Banco Árabe para o Desenvolvimento Económico de África (BADEA) há muito atrasadas, pois o termo já devia ter acontecido em Março de 2011.

A nova unidade sanitária, segundo Vaquina, é de referência e quando concluída vai sem dúvida aliviar a elevada procura, a nível da província, de serviços de saúde.

Porém, exigiu medidas mais enérgicas dos representantes do Ministério da Saúde (MISAU) no empreendimento quanto ao cumprimento dos prazos de execução, bem como a rectificação dos prazos a fim de explicar aos financiadores as reais motivações por detrás do excessivo atraso.

As obras daquela unidade sanitária, avaliadas em cerca de sete milhões de dólares americanos, tiveram início em Outubro de 2008, mas viriam a ser interrompidas por 12 meses, por razões financeiras.

Em Outubro de 2009, reataram com um prazo de execução de 17 meses, sendo Março de 2011 a data prevista para o termo. Hoje, estão há mais de dois anos atrasadas. Na Matola, Alberto Vaquina manteve um encontro com os Agentes Económicos do Conselho Empresarial Económico (CEP), dos quais ouviu diversas questões que, na sua óptica, enfermam o crescimento do empresariado nacional.

Os agentes económicos não manifestaram a sua “exclusão” do usufruto das oportunidades que os mega projectos de exploração de recursos minerais oferecem ao país.

Dentre as várias questões apresentadas pelos agentes económicos, o assunto da importação e comercialização de sementes para os agricultores da província, a necessidade de criar um bom ambiente capaz de relançar e proteger a indústria dos suínos, até porque a pecuária constitui uma das apostas da província, são as que mereceram maior realce.

O primeiro-ministro, que respondeu em detalhe a cada uma das questões levantadas, disse que o assunto das sementes, que na óptica de um dos agentes económicos são de qualidade baixa, merece muita atenção pois a agricultura é a base de desenvolvimento e o governo não pode continuar a gastar fundos sem o retorno ideal.

“O governo, quando fornece sementes subsidiadas, está a ajudar algumas pessoas a aliviar os níveis de pobreza em que se encontra, na expectativa de ver, mais tarde, a acumularem um rendimento que as habilita a desenvolver a sustentabilidade da sua actividade”, disse a fonte.

Porém, Vaquina prometeu que o executivo vai levar a cabo medidas conducentes a melhoria do mecanismo de aquisição das sementes, sobretudo naqueles que vendem as melhores variedades, mas espera, por outro lado, maior seriedade e respeito dos acordos por parte dos fornecedores.

Alberto Vaquina escala sábado e domingo os distritos da Manhiça e Boane respectivamente, onde vai cumprir um vasto programa no quadro da avaliação do desempenho das actividades realizadas e manter vários encontros.

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts

error: Content is protected !!