Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Manifestantes incendeiam parlamento do Gabão após vitória de Bongo

Um grupo de manifestantes ateou fogo nesta quarta-feira ao parlamento do Gabão no meio do caos gerado após a polémica reeleição de Ali Bongo como presidente por uma pequena margem, informou a imprensa local.

Logo após a divulgação dos resultados, simpatizantes do opositor Jean Ping saíram às ruas da capital Libreville para protestar e foram dispersados pela polícia enquanto estavam a caminho da sede da Comissão Eleitoral Nacional (CENAP), dando início a uma série de distúrbios e saques.

Segundo as primeiras informações, vários manifestantes ficaram feridos, mas o saldo de vítimas é ainda provisório, e não existe nenhum comunicado oficial das autoridades gabonesas.

Com quase um dia de atraso por divergências na apuração, Ali Bongo foi proclamado vencedor das eleições presidenciais nesta quarta com 49,8% dos votos, enquanto Jean Ping obteve 48,23%.

A polémica surgiu assim que foram conhecidos os resultados da província de Alto Ogooué, um reduto eleitoral no qual o recém reeleito presidente do Gabão obteve mais de 95% dos votos com uma participação popular próxima de 100%, enquanto no resto do país o comparecimento às urnas não chegou a 60%.

As forças de segurança utilizaram gás lacrimogéneo e canhões de água para dispersar os manifestantes, que foram a vários lugares de referência da cidade para protestar. Pelo menos um centro comercial de Libreville foi incendiado e saqueado, e na capital económica do país, Port-Gentil, houve incidentes similares.

Tanto a França como os Estados Unidos da América pediram aos apoiantes de Bongo e Ping para que mantenham a calma e evitem qualquer forma de intimidação e confronto. Os dois países, assim como a União Europeia (UE) havia feito, pediram à CENAP para que publique “os resultados de cada colégio eleitoral” para evitar suspeitas e garantir que a apuração foi justa e transparente.

A missão eleitoral da UE criticou duramente a falta de transparência na gestão da administração eleitoral, que rejeitou divulgar informações essenciais como as listas do censo e dos centros de votação.

Após as votações do último sábado, que transcorreram com normalidade apesar da tensão ocorrida durante a campanha, tanto Bongo como Ping se apressaram em se proclamarem vencedores antes dos resultados oficiais, o que gerou um grande nervosismo em todo o país.

Bongo – filho do ex-presidente Omar Bongo, que governou o Gabão entre 1967 e 2009 – era o claro favorito para ser reeleito neste pleito de uma única volta, mas sua vitória foi muito mais apertada do que o esperado.

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts

error: Content is protected !!