Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Moçambique perde com Zâmbia e espera um milagre para o apuramento ao CAN 2015

Moçambique cai três lugares no Ranking da FIFA

Só um milagre poderá apurar Moçambique para o Campeonato Africano das Nações(CAN) em futebol de 2015, que vai ser disputado na Guiné-Equatorial. O golo de Given Singuluma, não só manteve a tradição dos “Chipolopolos” não perderem com os “mambas”, como também garantiu a segunda vaga do grupo F para a Zâmbia. Moçambique precisa de vencer o Níger na próxima quarta-feira(19) e esperar que nos restantes grupos nenhuma outra selecção ocupe a terceira posição com mais de 8 pontos ou tenha os mesmos pontos mais com menor saldo de golos.

Apesar de João Chissano ter prometido uma equipa ao ataque Moçambique entrou no estádio nacional do Zimpeto, neste sábado(15), com o seu habitual sistema de 4-3-3, com Dario Khan, Mexer, Zainadine e Miro na defensiva, Simão Mathe, Hagi e Dominguez na zona intermediária, enquanto Kito, Josimar e Maninho eram o trio do ataque.

Nos primeiros instantes as duas formações tentavam chegar a baliza através de lançamentos longos, o que decerto facilitava a tarefa dos defesas que ganhavam todas as bolas no duelo com os avançados.

A primeira incidência digna de realce deu-se à passagem do minuto sete. Na sequência de um livre a castigar uma falta de Munthali sobre Dominguez, o mesmo jogador na cobrança, rematou para uma defesa apertada de Mweene. Os “chipolopolos” procuravam explorar a velocidade e a técnica dos seus médios exteriores, Kalaba e Musakanya, mas Zainadine e Miro não davam espaços para manobras aos dois tecnicistas.

Os “mambas” dominavam em termos de posse de bola mas não conseguiam mas falta de precisão no último terço do terreno. Quem o diga ao Dominguez que aos 13 minutos, depois de um passe magistral de Kito, ficou muito tempo com a bola e com o tempo perdeu o angulo para visar a baliza de Mweene.

À passagem do minuto, a Zâmbia fez o primeiro remate a baliza de Ricardo Campos. Depois de uns trapalhões perto da linha da grande área, a bola sobrou para Singuluma que rematou e o esférico saiu ao lado. Quatro minutos depois, numa jogada em os zambianos não respeitaram a regra básica do desporto, o fair play, uma vez que Miro tirou a bola das quatro linhas para dar assistência a um jogador zambiano, Nathan Sinkala, do meio da rua, desferiu um forte remate para uma defesa atenta de Ricardo Campos.

À passagem do minuto, ou seja, no segundo quarto de hora, os “mambas” baixaram a intensidade, o que decerto espevitou algum crescimento do seu rival. Aos 27 minutos, depois de uma excelente combinação com Kito, Miro galgou terreno ate a linha de fundo e cruzou para a grande área mas não estava nenhum jogador moçambicano para finalizar.

Na resposta dos zambianos, Kalaba depois de ganhar um despique com Miro, fez um cruzamento para a marca da grande penalidade onde estava Munthali que desferiu um golpe de cabeça para, mais uma, excelente intervenção de Ricardo Campos. Os zambianos estavam na mó de cima, uma vez que os médios moçambicanos mostravam alguma apatia no centro do terreno.

A passagem do minuto 40, na sequência de uma perda de bola por parte de Simão Mathe, Kampamba lançou Mayuka, mas este rematou ao lado da baliza moçambicana.

Volvidos dois minutos, depois de sucessivas trocas de passe na zona do meio campo, Dominguez com um passe magistral coloca a bola nos pés de Zainadine que perto da linha de cabeceira cruzou com conta peso e medida, mas Maninho com a baliza escancarada não conseguiu tocar na bola e desvia-la para o fundo da baliza.

Na jogada seguinte, Mayuka, do meio da rua, desferiu um portento remate mas a bola saiu por cima da barra transversal da baliza de Ricardo Campos.

No último lance da primeira parte, no seguimento de uma falta de Mulenga sobre Dominguez, Dário perto da linha divisória, rematou forte para uma defesa apertada de Mweene, depois as três equipas saíram para o intervalo.

Dominguez falha penalti

No reatamento, o combinado nacional, voltou a entrar da mesma forma que entrou na etapa inicial e volvidos dois minutos depois do apito do árbitro, Dominguez é derrubado a entrada da área. Na cobrança, Miro rematou e a bola esbarrou num defesa contrario e saiu ao lado da baliza de Mweene. No lance seguinte, depois do canto cobrado por Dominguez, a bola sobre para Momed Hagy que rematou cruzado e o esférico passou ao lado da baliza dos zambianos.

Na resposta da formação forasteira, depois de uma excelente triangulação com Kalaba, Mayuka rematou e viu a bola a ser devolvida pela barra, num lance em que Ricardo Campos estava completamente batido.

Ao contrário do que aconteceu na primeira parte, o público que se fez em massa ao estádio nacional do Zimpeto cantava para o empurrar os “mambas” para a almejada vitoria, Quando o relógio marcava o minuto 57, Momed Hagi, perto da linha da grande área, rematou fraco para uma defesa atenta.

No lance seguinte, Miro galgou terreno até a linha do fundo e cruzou para a grande área, onde Kito tenta o remate e o árbitro assinala uma grande penalidade. Falta sobre o moçambicano ou Sinkala cortou com a mão? Só o árbitro viu e como apitou Dominguez foi chamado a cobrar o castigo máximo.

Com o seu melhor pé, o direito, o “puto maravilha” rematou para o centro da baliza onde o guarda-redes Nweene, que é seu companheiro no Mamelodi Sundowns da África do Sul, defendeu com a perna.

Entretanto, João Chissano entendeu que era altura de refrescar o meio campo, tirou Momed Hagy e no seu lugar lançou Reginaldo, para que Josimar recuasse para a zona intermediária. Na resposta dos “chipolopolos” Mayuka livrou-se de Dário Khan e rematou forte para uma defesa atenta de Ricardo Campos.

E como diz o povo “quem não marca arrisca-se a sofrer” e foi isso que aconteceu à passagem do minuto 68. Desatenção na defensiva moçambicana, Musakaya flecte pela direita e cruza para a grande, Mayuka, de cabeça, coloca a bola nos pés de Singuluma que, sem marcação, rematou sem hipóteses de defesa para Ricardo Campos.

Em desvantagem, o seleccionador nacional lançou mais um avançado para o relvado, mal tratado do Zimpeto, fez entrar Isac no lugar do Maninho.

Aos 75 minutos, Dominguez subiu pelo flanco direito e cruzou para a grande área onde estava Josimar que, no meio de dois defesas, rematou fraco para uma defesa de atenta de Mweene.

Quatro minutos depois, Reginaldo, depois de uma combinação com Miro, flecte da esquerda para meio e rematou forte para, mais, uma excelente defesa de Mweene. A nossa selecção jogava mais com o coração do que com a cabeça.

Os zambianos recuaram relvado e passaram a queimar cada vez mais tempo com a bola e sem ela, simulando faltas e assistências médicas.

À passagem do minuto 81, Kito, no corredor direito, cruzou para a marca de grande penalidade onde aparece Raginaldo a cabecear e bola esbarra num defesa e saiu ao lado da baliza dos zambianos.

Quando faltavam quatro minutos dos noventa, depois de um passe milimétrico de Kito, Reginaldo flecte da esquerda para o meio e rematou ao lado da baliza de Nweene.

O adeptos começaram a abandonar o estádio ainda antes do apito final que aconteceu cinco minutos após o minuto 90.

Com esta derrota Moçambique queda-se na 3ª posição do grupo F com 5 pontos, a Zâmbia subiu para 2ª posição com 8 pontos atrás de Cabo Verde que soma 12 pontos após derrotar o Níger por 3 a 1.

O sonho dos “mambas” ainda chegarem ao CAN 2015 passa primeiro por uma vitória sobre os nigerinos na última jornada, pelo maior número de golos, e depois esperar pelos resultados dos outros grupos para se qualificarem com melhor terceiro classificado.

Facebook
Twitter
LinkedIn
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts

error: Content is protected !!