Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Maluana na iminência de ser mais um el dourado na província de Maputo

Devido à construção do Parque de Ciência e Tecnologia na região de Maluana, no distrito da Manhiça, província de Maputo, aquela região está a registar uma procura significativa de terra para construção de infra-estruturas habitacionais e de outras actividades socioeconómicas naquele local.

Apesar de a legislação moçambicana proibir a venda de terra, em Maluane, existem porções de terra a serem comercializadas.

Pelo menos naquela região o preço mais baixo que se cobra é de 15 mil meticais, disseram, em resposta a uma simulação de interesse na aquisição de terrenos.

Estêvão Chirindza, um dos residentes de Maluana, referiu que a presença do Parque de Ciência e Tecnologia está a atrair pessoas não residentes em Maluane “por se acreditar que a infra-estrutura vai dinamizar a actividade socioeconómica da região”, para além do trabalho de melhoramento das principais vias de acesso ao local.

As obras de construção do parque iniciaram em Fevereiro de 2010 e a conclusão da sua primeira fase está prevista para o segundo semestre do presente ano de 2012, segundo garantias dadas por Laurino Chemane, coordenador da Unidade Técnica de Implementação da Política de Informática (UTICT) do Ministério da Ciência e Tecnologia (MCT).

Aquela infra-estrutura, orçada em cerca de 25 milhões de dólares norte-americanos financiados pela Índia, é a primeira do género em Moçambique e destina-se ao desenvolvimento de projectos de ramos científicos, para além de formação profissional em áreas ligadas às Ciências e Tecnologias, de acordo ainda com Chemane.

O parque ocupa um espaço de cerca de 950 hectares e a sua construção “tem vantagens que não só vão beneficiar as comunidades da Manhiça”, como também investigadores que vão ter um ambiente apropriado para a “transformação dos resultados das suas pesquisas em produtos que possam ser objecto de consumo na sociedade”, destacou aquela fonte.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts

error: Content is protected !!